Um tratamento eficaz do transtorno do pânico envolve alguns objetivos básicos: (1) diminuir as crises, (2) quebrar a associação das reações do corpo como fonte de perigo e (3) capacitar a pessoa a enfrentar os sentimentos de vulnerabilidade e desamparo que disparam ansiedade.
A medicação tem um efeito importante no primeiro destes objetivos, diminuir a incidência das crises de pânico, porém parece não atingir diretamente os outros dois objetivos.
A medicação, por exemplo, não ensina à pessoa como ela pode se auto-regular e diminuir sua ansiedade. O desenvolvimento da capacidade de influenciar seus estados internos é importante para que a pessoa aprenda a se acalmar e assim supere o sentimento de impotência frente à ansiedade e ao pânico.
Tão importante como aprender a se auto-regular é quebrar a associação que se cria no cérebro da pessoa, onde as reações de seu corpo (taquicardia, etc) são vividas como um sinal de perigo, disparando ansiedade e pensamentos catastróficos. Ao se quebrar esta associação as reações do corpo deixam de produzir ansiedade e a pessoa deixa de ter crises de pânico.
A medicação é um recurso auxiliar importante para ajudar a controlar as crises de pânico. Porém sua melhor utilização parece ser como coadjuvante da psicoterapia, visto que as pesquisas têm apontado que o índice de recaídas é maior quando há somente tratamento medicamentoso do que quando há também um tratamento psicológico.
Atualmente é possível tratar a pessoa com pânico com uma psicoterapia especializada, mesmo sem a utilização de medicação. O problema é que este tratamento psicológico especializado ainda não é amplamente conhecido e utilizado, e as pessoas acabam vivendo numa situação precária, reféns do pânico por anos, em tratamentos que acabam não tocando suas questões essenciais.

49 Comments
  1. Juliana

    “A medicação tem um efeito importante no primeiro destes objetivos, diminuir a incidência das crises de pânico, porém parece não atingir diretamente os outros dois objetivos.” Sou testemunha viva disso. Com o uso somente d 2 cartelas de alprazolan, mas buscando o conhecimento do problema, seus artigos Arthur, e com muita fé e entrega total a Deus, passamos a aprender a monitorar nossos sintomas de perigo q disparam as crises. Impressionante testemunhar sobre o ultimo parágrafo. Deus colocou em meu caminho uma médica abençoada, q mesmo assumindo a impossibilidade e nao conhecimento de tecnicas pra me ajudar, assim, muito já me ajudou, pois ela é depois de Deus peça essencial em meu tratamento, e concerteza Artur, nao só uma especialização adequada é necessario para ajudar pessoas como nós,mas sim, um envolvimento humano com o problema a ser tratado. Essa sim, faz grande diferença na superação das crises, tornando-se uma oportunidade única e inigualável, de se valorizar a vida e as pessoas que amamos intensamente. É abrir-se a uma vida nova, com novos conceitos, e somente com muita fé e perseverança conseguimos. Abraços!!! Veja, estou conseguindo superar. Deus os abençoe!!!

    • ivanete

      oi ,Doutor arthur,gostaria de entrar em contato com vc,pois moro muito longe e li seu blog ali esta escrito tudo o ke eu sinto ,preciso de ajuda…como faco
      sofro de fobia social ,kuando vou assinar meu nome ,naw consigo da muita tremedeira parese ki vou morrer,me ajudem por favor…

      • CIDA R..

        nossa eu tbem preciso de ajuda!!! quando eu vou assinar meu nome ou escrever qualquer coisa perto de pessoas.. nao consigo!eu entro em panico, ai da um branco na minha mente, ai eu esqueço como que é a letra do proprio nome é horivel, fora a tremedeira que me da o meu corpo esquenta tanto que pareçe que vou explodir….eu tento de todas as formas ser diferente mas nao consigo evitar, esas reaçao é mais forte do que eu.preciso de ajuda mas nao sei onde buscar. Obrigado!!

        • Patricia Moraes

          Oi!!! Nossa.. sinto isso tbm,a muitos anos.. quando vou escrever parece que vou ter um ataque cardiaco ou algo do tipo,sei la! Estou muito preocupada. Preciso falar isso com alguem e nao consigo… tenho medo de pensarem que estou louca, vamos trocar contatos,oque acha?! Abraço, fica com Deus.

  2. Iara

    Olá Juliana. pelo que percebi vc é uma pessoa de muita fé..
    eu tb sou….tenho Deus como meu referencial de vida, meu pai, meu amigo, meu tudo….e é isso que me ajuda nas horas de crise….a confiança que deposito em Deus e por saber que como ele me fez, sabe exatamente como eu me sinto..
    gostaria muito de manter contato com vc…se puder, me mande o seu email…
    o meu é iarafavaretto@gmail.com, caso queira conversar mais sobre esse assunto..
    Um abraço
    Fica com Deus…

  3. Marcelo

    Boa tarde Dr. Artur.
    Já tive síndrome de pânico em 2000.
    Cheguei a tomar o suvector (meio comprimido 3 x por semana). Fiz terapia e voltei a praticar exercício físico. Depois o médico disse que eu poderia parar de tomar o remédio, pois a dose era tão baixa que na verdade não devia estar nem fazendo efeito, apenas me dando um “conforto psicologico” pra não dizer efeito placebo.
    Depois de algum tempo parece que tudo voltou ao normal, mas ficou o medo do medo. Como aconteceu de uma hora para outra, sempre ficou o receio de ter uma nova crise em algum momento mais complicado. O que veio a acontecer alguns anos mais tarde. Voltei à terapia, pois minha terapeuta me disse que não havia conseguido achar o motivo de tudo e que por isto algumas sensações estavam voltando. Ela diz que às vezes não estamos preparados para mexer em algo que realmente nos incomoda psicologicamente e isto atrapalha o tratamento, mas é o paciente quem tem que estar preparado. Voltei então disposto a “futucar” tudo que possa estar me trazendo esta ansiedade. Estou fazendo tratamento com homeopatia e acupuntura paralelamente. Não tenho tomado nenhum outro remédio. Tive uma crise no meu dentista, onde meu corpo ficou muito dormente do lado esquerdo e sem força. Achei que estava morrendo e meu dentista também pensou que eu estava infartando, mas le manteve a calma e percebeu que poderia ser stresse e foi me acalmando também.
    Tenho lido alguns livros sobre o assunto, tais como de meditação, e outros aspectos ligados ao tratamento. Estou lendo um do Psiquiatra David Servan-Schreiber. “Curar o stress, a ansiedade e a depressão sem medicamento e nem psicanálise”. Conhece? Na verdade ele fala de algumas técnicas onde o terapeuta é fundamental, mas parece que a manutenção de um estado equilibrado é por “nossa conta”.
    Gostaria de saber se indica alguma coisa a mais para apagar esta marca que ficou registrada em meu cérebro? acho que isto é o que mais incomoda, não ter certeza do motivo e por conseguinte achar que a qualquer momento posso voltar à estaca zero. apesar de minha terapeuta afirmar que isto não ocorre com quem esta se tratando ainda mais de diversas formar e sim apenas com pessoas que tendem a mascarar o sentimento com os remédios.
    Grande abraço!
    Marcelo.

  4. Carla

    Eu sou a Carla, tenho transtorno de pânico há 8 anos e nunca consegui deixar de tomar a medicação, às vezes ando bem, mas passado algum tempo volto ao mesmo.
    Vou começar a fazer psicoterapia pois só com a medicação não consigo.
    Já li muito acerca da doença, e sei que nós podemos controlar, mas quando o ataque chega parace que nos esquecemos de tudo…..

  5. Monica

    Olá, esta manhã procurei na internet sobre o assunto e o encontrei. Meu filho de 19 anos teve uma crise esta noite e me acordou aos prantos, desesperado, com taquicardia, ofegante,com medo de ter alguma coisa. Mas ele sabia que estava tendo uma cirse de panico ( a segunda ,segundo ele). Era movido por um desamparo enorme em relação a uma relaçao amorosa que, parece, ele mesmo terminou por medo e insegurança do compromisso. E que agora, a menina com outro, não o quer mais. Ele teve uma crise desproporcional, me afirmando ser inseguro e ter muito medo. Conversamos bastante, dei colo, o acalmei, ele se centrou e adormeceu. Mas tentei falar da importancia dele procurar uma ajuda terapeutica. Ele se recusou, dizendo que jamais se abriria para um desconhecido. Como posso convence-lo? Ele sofreu abandono do pai, e abusos morais, digamos assim, desse mesmo pai. Vive comigo desde que me separei do pai volento aos 2 anos. Eu faço terapia há anos. Ele é comprometido com estudos, todos o adoram, amigo leal, lider de turma, esportista, etc. Mas no afeto,se mostrou absolutamente vulnerável. Como posso ajuda-lo a procurar ajuda. Sei que vou até certo ponto.

  6. Carla

    Olá
    De facto também já tive crises de panico, felizmente com ajuda médica e com a ajuda de medicação estive bastante tempo sem ter essa sensação que considero horrivel.
    Aconteçe que agora surge o medo de ter crises de panico e esse medo acaba por originar altos niveis de ansiedade e crises de panico, è como se fosse um ciclo.Pareçe ridiculo ter crises de panico porque se tem medo de ter crises de panico, confuso não?!
    Sei que tenho que me controlar mas pareçe que quanto mais tento mais ansiosa fico. Digo para mim isto não é nada, calma que vai passar, mas sinto o coração acelarado e por não me conseguir acalmar fico mais nervosa.
    É dificil lidar com esta situação, principalmente porque ainda há muita gente que não comprende. Não queria voltar a tomar medicação, mas não sei se sozinha vou conseguir.

  7. Juliana

    oi carla, horrivel mesmo né, muito ruim. minha fortaleza e meu refúgio estão em Deus, assim aos poucos vou me superando, faça o mesmo, nao há nada que o divino espirito de Deus nao possa fazer por nós, sucesso, fik em paz.

  8. rodrigo

    Bom pessoal, passo por isso a 4 anos, mas vira e mexe as crises vem para rebentar, mas há unica coisa que posso garantir a vcs, e que ninguem morre disso…….abraços….

  9. Juliana

    Oi,
    Estou comtranstorno do pânico desde dezembro de 2008 ejá tive há 10 anos também. Nunca cosnegui tomar medicamentos alopatas porque me fazem muito mal. Uso homeopatia, acupuntura, florais e , claro, psicoterapia. Estou sem crises há meses, mas ainda resta voltar a me sentir “normal”, sem medos. Queria saber se outras pessoas e o terapeuta do site sabem de histórias de melhora sem uso de medicamentos.
    Obrigada.

  10. Ana

    OI Carla, tenho 35 anos e sofro de SP desde os 23, tomo meio comprimido de Rivotril 0,5 mg.
    Tenho vontade de abandonar a medicação, pois creio que tudo está na nossa cabeça, eu tenho fé que vou conseguir encontrar a saída desse labirinto , creio que todos nós conseguiremos.
    Eu leio muita coisa sobre a SP e gostaria de compartilhar isso com quem se interessa no assunto, para isso criei um msn para esse fim, o endereço é ana.azevedo74@hotmail.com.
    Quem quiser pode adicionar.
    Beijos a todos e fiquem com DEUS.

  11. Ronaldo

    Olá Pessoal,

    Tenho 37 anos e minha primeira crise foi em 1991, eu estava servindo o exército ( obrigatoriamente ) e estava de guarda armado, fiquei em estado de introspecção aproximadamente por 2 horas, sem mover um musculo se quer, vendo como se fosse um filme sobre minha vida, me lembrei de alguns pesadelos que tinha qdo criança muito parecido e achei que tinha voltado para o passado ( talves tive a 1ª crise qdo cruança ). Foi quando começou meu pesadelo, daí para cá tive muitas crises, nunca tomei medicamento e ainda não procurei ajuda médica.
    algumas crises eu consegui controlar, mas não sei qdo terei a proxima e como será minha reação. Leio quase tudo sobre o transtorno e sei que preciso de tratamento. quem sabe um dia.
    abraço a todos.

    Ronaldo

  12. silvanapacher

    oi tenho 23 anos bom comigo aconteceu o seguinte tive minha filha alguns meses depois tive varios problemas fiz todo tipo de exame fiquei internada pois nao sabia o que eu tinha a crise aconteceu no hospital fiquei 7 dias com a cabeça queimando ate tumografia fizeram pois achavam que tinha um tumor mais nao no final de tudo nao acharam nada e o diagnostico foi depressao pos parto sindrome do panico e transtorno bom depois disto comecei tratamento tomava 7 comprimidos entre tudo era terivel pois chegava a ter 10 crises por dia fiz tratamento por 1 ano e meio mais nada mudava entao quero dizer a todos que passam por isso que tenham fe …. me convidaram para conhecer uma igreja onde pessoas com panico depressao sao curadas fui e 4 dias depois ja abandonei o tratamento comecei a me sentir melhor mas nao e facil tem que ter perseverança e nos momentos em que achava que ia desabar buscava e busco forças em deus ja estou 10 meses sem tomar medicaçoes nem pscoterapia e tive umas 4 crises somente sei que vou ser curada totalmente. desejo sorte a todos e muita forçanas horas em que se sentirem mal deus abençoe a todos bom se alguem desejar conhecer a igreja se chama igreja mundial do poder de deus

  13. Juliana

    Deus a abençoe silvana, realmente, tudo Podes Naqele q t fortalec, obrigada, fik em paz

  14. Renata

    Olá para todos!
    Sempre procuro sites que falam a respeito da sindrome do panico pois tive algumas crises e sei o quanto é desesperador .
    Quando tive a primeira crise pensei que iria morrer,estava grávida de 7 meses de duas meninas e foi horrível.Meu ginecologista diagnosticou a sindrome e me encaminhou para o psiquiatra.
    Tomei alguns remédios e fui também ao psicólogo por algum tempo mas nada adiantou,foi quando pensei em DEUS.Quando temos algo que não conseguimos resolver devemos sempre procurar DEUS.
    Vejam bem,não sou nenhuma fanática,sou apenas alguém que acredita que Deus faz milagres.
    Em meio ao desepero cheguei a uma igreja evangélica,não pedi para ninguém me orar,eu mesma falei com Deus todas as minhas angústias,todo o desepero que havia em meu coração.
    Falei para Deus o quanto me sentia abandonada nesse mundo e que achava que ninguém podia me ajudar além dEle.
    Chorei muito e tive medo de não estar sendo ouvida.
    A resposta veio logo, através de uma pessoa que eu não conhecia ,me disse que DEUS estava comigo e que de maneira alguma eEle rejeita aqueles que vão a Ele.
    Queridos,não tomei mais remedio algum,porque tive fé em Deus(não estou dando incentivo para não tomarem remédio)e depois disso não tive mais crises de panico.
    Peço a Deus que todos os que tiverem vontade de procurar em JESUS
    a cura para essa doença a recebam assim como eu recebi.
    E se voce quiser falar com Deus agora ,faça essa oração:
    Deus todo poderoso!
    eu sei que todo o poder é seu
    e todas as coisas foram feitas por sua vontade.
    Por isso Senhor te peço agora que me cure,
    pois reconheço a sua misericódia em minha vida.
    Em nome de JESUS faço essa oração tendo a certeza que estou sendo
    abençoado(a) por ti .
    Amém.
    Se alguém quiser falar comigo vou deixar meu e-mail:renatacarol2006@hotmail.com
    abraço em todos.

  15. Juliana

    Louvado seja Deus Renata, por ter conseguido esta graça, tamem me apego muito em Deus, e é nele que encontro refúgio, mas nao chegou minha hora ainda de receber a graça da cura. Estou paciente aguardando. bj t add

  16. Giovana

    Tenho 37 anos e convivo com o pânico desde 1997. As primeiras crises foram terríveis…e até eu obter o diagnóstico, perdi 9 kilos, deixei de sair de casa, de trabalhar, de viver…tomei medicamentos por 1 1/2 ano, e recebi alta…mas o medo de ter medo nunca passou…nuca mais fui a mesma pessoa…não tenho coragem de viajar, de sair de perto de casa, não vou a lugares fechados (de onde eu não possa ir pracasa correndo), enfim, nunca mais consegui viver dignamente!!! A verdade é que estou novamente em crise há cerca de 6 meses…procurando ajuda para evitar o pior…não quero mais viver assim…NÃO AGUENTO MAIS!!! Sei que trocar experiência pode ser bom, por isso resolvi escrever, porém, do fundo do meu coração…não tenho mais vontade de continuar vivendo…viver pra mim está sendo muito dolorido!!!!

  17. Evandro

    Ola Pessoal, ja estou sofrendo com isso a 4 anos ,no meu primeiro ataque foi terrivel eu me sentia sozinho no mundo com a pior sensacão de medo insegurança.meu Deus foi horrivel,mesmo assim não diagnosticaram nada,só uma alteração de P.A.
    mas vieram outras e mais fortes ,fiz varios exames até não dar em nada.
    foi quando eu resolvi me abrir com uma colega e ela me indicou uma psicologa,
    nas sessões ela diagnosticou a S.P,
    me encaminhou a um pisciquiatra e ele me passou uns remedios, assim foi prosseguindo o tratamento. ate ter uma otima melhora e receber alta.
    Mas esse ano Devido ha uma série de assaltos que sofri na empresa onde trabalhava como motorista de caminhão,minha vida se tornou um transtorno
    voltou tudo de novo e mais grave ,voltei a tomar remedios,mas parece não estar fazendo efeito.ando muito nervoso e com muito medo ultimamente.agora estou desempregado e muito mais preoculpado com essa situação.
    Mas tenho Fé em Deus que isso vai passar eu vou dar a volta por cima de novo.

    Boa sorte pessoal, vamos vencer essa fobia!!

    abração a todos!!!!

  18. Tenho estudado muito sobre este tema e percebo que todos tem em comum, certa relação de abandono com a mãe ( que pode ter sido real, por falta ou por se sentir afastada… Procede?

  19. Sandy

    olá, tenho 20 anos, faço faculdade de matematica.
    estou com o sindrome do panico ja faz uns 4 meses.
    fui ao medico e logo ele detectou que era a sindrome do panico.
    nem imaginava que estaria com isso.
    só sei que a maioria das minhas crises são antes de dormir, pois fico com medo de dormir e acordar ruim, e de manha quando acordo tambem me dá a crise.. acordo muito ruim, com dores no peito, me sinto sozinha, parece que vou morrer, parece que nada vai dar certo.
    Alguem de voces sentem isso antes e depois de dormir.
    isso esta me judiando demais.
    estou muito mal.

    meu medico passou esses seguintes remedios
    cebrilin 30
    tofranil 25

    não tomei ainda.
    voces sabem alguma coisa sobre esses remedios?
    ele me disse que 1 é pra manha e outro é pra antes de dormir.
    tenho medo de que isso nunca acabe..

    Sou evangelica. e ja busquei bastante a Deus, pra me livrar dessa dor,.

    tenho fé que isso vai embora.

    bjus pra todos e se alguem poder responder minhas perguntas eu ficarei grata.

  20. Paulo Jr

    Olá para todos. Tenho 47 anos e tenho síndrome do pânico desde 1998. Já tive períodos terríveis com as crises, mas sempre enfrento as crises(com muito sofrimento), mas enfrento. Tomo alguns medicamentos – Luvox, rivotril em gotas (e o sublingual quando tenho uma crise). Faço terapia com um excelente profissional, tenho um psiquiatra super competente, faço acupuntura e shiatsu. Nunca deixei de viajar, sair de casa e ter ma vida normal, mesmo nas mais terríveis crises. A síndrome do pânico é algo que pode ser curada, mas caso não seja, podemos sim conviver com ela. Sou engenheiro e administrador, mas leio muito e tenho grande conhecimento sobre a síndrome. Acho MUITO importante a troca de informações com outras pessoas que como nós temos a síndrome, pois nós nos entendemos e sabemos o que é estar em crise, sentir todos aqueles sintomas, que é algo que poucas pessoas (quase nenhuma) que não tem a sindrome entendem. Gosto muito de trocar informações e por isso deixarei o meu e-mail – pviannajr@gmail.com fiquem a vontade para me escrever. Acredito muito em Deus, porém não acho que Ele nos cure e sim, Ele nos dá força para que possamos encontar a cura ou a melhor forma de enfrentar a doença. Abraços a todos e estou sempre torcendo por mim e por todos vocês para que melhorem e vivam sempre em paz.

  21. oi adorei comecer esse blog e saber k naum estou sozinho…sofri muito cm essas crises sem m abrir cm ninguem, cm medo d preconceito.Pq p muitos acham q e loucura.Mas aredito k vamos vencer……….

  22. Elaine

    Oi!!!
    Tenho 49 anos e sofro com essa sindrome do panico há 33 anos, (minha primeira crise foi aos 16 anos), nem sabia o q era foi um mal horrivel parecia q ia morrer do nada, m senti tao pequena num mundo enorme querendo m engolir, estava indo a um baile num clube num bairro apos o meu, estava com minha irma e 3 amigas e pedi q voltassem comigo p casa pois estava m sentindo mal, e so queria minha casa pois achava q se estivesse em casa me sentiria melhor, acabei voltando p casa sozinha e realmente qdo cheguei em casa tudo passou tive ate vontade de voltar p clube, hj as crises sao + brandas e ate consigo controlar, mas nao consigo sair d casa, so ando por perto. Minha vida social e pessima nao vou a festinhas longe de casa nem em casas de parentes em outro bairro, em fim nao vivo m sinto uma prisioneira sem ter cometido algum crime. No começo nem comentava que sofria d panico, mas agora ja consigo falar q sofro c a sp, e venho fazendo buscas em site sobre o assunto. Quero muito m tratar e m curar desse mal, mas como? se nao saio de casa e nem tenho condiçoes financeiras p m tratar.Gostaria de respostas sobre o meu problema, se ainda tenho cura? Dizem que qto + tempo menos condiçoes de cura, mas quero muito m curar venho tentando conhecimentos por sites e isso tem m ajudado muito. Por favor peço ajuda a encontrar uma luz nesse tunel escuro, quero e preciso voltar a ser normal. Eu creio q ha essa luz n meu tunel. Espero respostas, bjs. Elaine

  23. Fabiola

    Oi gente bom dia!
    Adorei esse blog, tenho sempre pesquisado sobre a SP.
    Eu tive em 2008, fiquei assustada com o que sentia.
    Li alguns relatos e percebi que alguns tinham um fator externo que propiciou a crise, tipo separação, perda de alguém. Já comigo sou uma pessoa muito ansiosa que cobra demais as coisas de mim, e em 2008 eu tive muitas mudanças pessoais em minha vida, mas que me criavam uma expectativa fora do normal
    Mas eu não tive coisa alguma e passei a ter essas crises. Assutador.
    Eu ficava com medo de dormir, porque quando pegava no sono eu acordava assustada com o coração disparado e dava uns pulos na mesa. Queria dormir de luz acessa por causa do medo.
    Procurei medico psiquiátrico e ao começar a tomar os remédios, porém tive uma crise violenta que relato abaixo.
    Ao acordar assustada comecei a gritar pedindo meus pais para me levarem ao hospital porque eu tava morrendo. Desesperada, falando que iria morrer, que meu coração tava disparado, tremedeira nas pernas, sem ar e achava que tava sufocando com minha língua. Numa dessas crises fiquei com todos os dedos das mãos tortos, não conseguia sentir as coisas, perdi o tato e ainda gelados. Que angustia! Essa foi a segunda crise.
    Daí fui medicada no hospital e voltei meio lesada para casa. O medico falou com meus pais que eu estava com crise nervosa.
    Amigos é ruim demais isto. Depois dessa crise não tomei mais remédio, para mim o remédio me vez ter a crise forte, voltei a fazer terapia com psicólogo, busquei ajuda de amigos bem próximos, rezei muito, procurei fazer as coisas que gosto, exemplo atividade fisica.
    Digo que parei de tomar remédio porem as crises continuaram, mas não intensas a ponto de ir ao hospital, porque cada crise vinha de uma forma. Daí conseguia controlar. Na maioria das vezes ligava para uma amiga (especifica) e conversava com ela ( ressalto que essas crises eu tava chorando que nem um bebê) e numa delas eu fiquei com medo de andar de ônibus, achava que tinha alguem querendo me fazer mal e numa dessas acordei pensando em como morrer, pedindo a Deus para me levar embora. Loucura demais!
    A pior coisa disto tudo e vc não ver sua família te apoiando, te ajudando e infelizmente tive que buscar ajuda na rua, com amigos e outras pessoas desconhecidas.
    Minha mãe achava que eu não tinha nada!! Meu pai apenas fazia papel de levar ao hospital. Muito pouco dialogo. E eu pedia ajuda e nada! Não gosto nem te lembrar que me dá vontade de chorar. No fundo sabia que mãe rezava por mim. Mas ela não acredita em ajuda psicologia. É triste.
    Em 2009 tive uma crise apenas. Estava numa festa com meus amigos, lugar que eu gosto, tava feliz, mas de repente me deu uma falta de ar, e uma crise de chorar. Medo medo e medo de não sei o que. Apenas sensação de medo.
    Enfim. Desejo a todos que tenho Fé, sejam fortes, e pensamentos sempre positivos. Olhem no espelho vejam cada um o que tem de bom. E jamais desistam de lutar. Somos fortes ate mesmo contra nós mesmos.
    Boa sorte a todos

  24. Miria

    OI FABIOLA, QUE SITUAÇÃO HEINNN…..
    EU TBEM ESTOU PASSANDO POR ISSO, É HORRIVEL……MAS TENHA FÉ VAMOS CONSEGUIR E ESTAREI SEMPRE POR AQUI PRA TE OUVIR…….E SER OUVIDA……miriacmluz@hotmail.com
    Vai ai embaixo minha história

  25. Miria

    Boa Tarde!!!
    estava navegando na internet, sobre crises de ansiedade, e achei muito interessante este site…..,enfim deixa eu contar um pouquinho da minha história, tive um casamento frustado de 12 anos, onde tive que se deparar com meu ex-marido usuario de drogas, traições etccccc…convivi com isso 12 anos , pois não conseguia me livrar dele, tinha muito medo do que ele poderia fazer comigo, até que a muito custo consegui me separar, tenho uma filha de 9 anos , que com 5 anos caiu de 4 mtrs de altura vindo fraturar o cranio tendo que operar a cabeça, graças a Deus ficou boa, sem sequela alguma…., hoje moro sozinha com ela, não consigo confiar nem me relacionar com ninguem, tenho muito medo de tudo , da vida , de morrer, de doença ruim e ter que deixar minha filha sozinha, enfim de uns 2 meses pra ca estou muito mal, fui ao psiquiatra ele me diagnosticou “ANSIEDADE FÓBICA” não consigo pensar , não consigo me concentrar no trabalho , na faculdade , nem pensar no futuro, tenho PVM e arritimia sinusal e quando fico assim que é praticamento todo dia, ela ataca e ai me da mais medo , meu coração parce que vai sair pela boca e meu coração parece que da um soluço uma anormalidade , detectei PVM e arritimia , quando estava gravida a 9 anos atraz e nunca tinha sentido nada, mesmo passando por tudo que passei, só que agora a uns 2 meses atraz, venho sentindo, palpitações,tremedeiras, calafrios,moleza , taquicardia, e muito desanimo, o psiquiatra me receitou floxitina, mas fala sério!!! que remédio é aquele me deixou 3 X pior do que ja estava, depois de 10 dias tomando , parei por conta própria…… e voltei nele , ele me passou rivotril , e percebi que estou mais tranquila, só que tem um detalhe fui em psiquiatra particular e é muito caro e o rivotril é só 30 comprimidos, conclusão não vou ter condições de pagar novamente só pra pegar receita de novo, pois achei que esse remédio foi muito bom pra mim…..e ja estou com medo de ficar sem ele………ai gente me perdoe por escrever tanto , mas sinto necessidade de escrever pra esquecer este pesadelo , que vcs sabem bem o que é!!!!!!! bjus a todos e fiquem com Deus

  26. Fabiola

    Miria obrigada por me ouvir e os demais colegas que chegaram a ler. é uma situação delicada ne! Seu caso é barra tb. Mas vamos vencer. Não tenha medo, lute.
    bjos

  27. Luiz Henrique

    Olá. Tenho 21 anos e tenho Fobia Social desde 2006. O sintoma mais constrangedor que eu tenho é a sudorese. Toda vez que eu entro em situações sociais eu começo a suar muito. Na testa e nas costa são os lugares mais frequentes, mas em geral suo o corpo todo. Meu cabelo fica tão molhado, que parece que eu corri a São Silvestre (rs). Atividades comuns como ir a padaria, por exemplo, se tornam verdadeiros desafios.
    Já tomei Rivotril, mas não deu certo, tive alergia. Hj quando vou sair pra festas, shows etc.. tomo o Cloridrato de Propanolol. Na primeira vez ajudou, mas hj não faz efeito, continuo suando do msm jeito, além de me dar sono Não estou aguentando mais, preciso de terapia urgente, então gostaria de saber como funciona a TCC (Terapia Cognitiva Comportamental) e sobre a Hipnose, se poderia ajudar nesse tipo de tratamento. Só pra ressaltar, os demais sintomas tbm tenho, desde mãos geladas até desconforto gastrointestinal, mas isso eu deixo por conta da medicação.

    Abraços.

  28. Lidiane A

    Sofro com esse problema há uns 2ou três anos.Faço tratamento com psicologo e psiquiatra,mas não estou notando resultado.Os medicamentos q ela me passa parece piorar os sintomas e eu acabo não os tomando mais,minha médica fica brava comigo mas não consigo continuar tomando o medicamento(Citaloplan).O unico q ainda faz efeito nos momentos d crise é o Alprazolan,mas tem dias q nem ele resolve.Já não sei mais fazer,minha vida está acabando aos poucos.Já não trabalho nem namoro,meus amigos se afastaram d mim acham q estou louca.Peço pelo amor d Deus q me ajudem.

  29. zil

    oi , tenho 29 anos casada mãe de dois filhos.Bom desde criança, sempre tive muito medo ,tinha muitos pesadelos, nao podia ouvir falar em mortos, ficar sozinha em casa nem pensar, quanto mais dormir sozinha.aos 15 anos percebi que sempre que sentia muita ansiedade , angustia , na maioria das vezes algo acontecia de ruim em minha familia, e assim foram aumentando as ansiedades e as vezes nao era nada que me colocara em risco ou a minha familia , e mesmo assim sentia muita ansiedade com muito medo, as vezes só de ficar sozinha de dia em casa. com 18 anos me casei, morei 5 anos proximo a casa de meus pais ,meu marido saia pra trabalhar as 5 h da manha e para mim era muito dificil ficar sozinha ate que clareasse o dia, e muitas vezes corria para a casa de meus pais, terminava de dormir lá, minha mãe nao compreendia e brigava muito comigo, mas se ficasse sozinha tinha uma crise estranha que me dava um medo tao grande que meu corpo esquentava e ao mesmo tempo suava frio, tive meus filhos e ai o medo nao era so comigo, era tambem que acontecesse algo com eles. 5 anos de casada meu esposo passou em cocurso publico para bombeiro militar, e foi mandado para trabalhar em um municipio distante de onde moravamos, tivemos que nos mudar, minha filha estava com 3 aninhos e meu filho com 1,e pra meu desespero a escala de trabalho dele é de 24h por 72, trabalha um dia e noite toda , e folga tres , a folga é boa mais a noite sozinha kkksss, ai vieram as muitas crises e só entao o diegnostico T P, tive muito mais pesadelos,ate que passei tambem a ter medo de sair de casa, para mim tudo era ameaça, tinha medo até de alguns vizinhos,minha primeira crise na rua foi no supermercado , me senti em panico ao ficar sozinha no corredor e me lembrar que estava a mais de tres h sem comer, quase desmaiei depis disso nao sai mais sem nada de comer na bolsa , e nao entrei mais naquele supermercado ,so de passar enfrente me dava mal estar.minha medica me passou varios remédios, mas nao tomei nenhum pois tambem passei a ter medo de tomar remedios , quando passava mal de alguma coisa e tinha que tomar remedio quase morria so de esperar os sintomas do remedio que achava que ia fazer mal.sempre relatei muito bem a minha medica os sintomas e aprendi a me controlar , ha 2 anos pssei por uma situaçao , onde minha mãe deu em cima do meu esposo e se declarou apaixonada por ele e queria ter um caso escodido com ele e ele retrucou e ao me ver inocente abriu o jogo a me falar das tentativas dela ,e pior me lembrei que ja faziam 2 anos que ele me dizia que ela ao ligar se expressava diferente com ele do que acostumava fazer na presença da familia e eu e minha irmã riamos dele falavamos que ele tava paranoico. até que deu nisso, sei que ela nunca foi presente mais dai a fazer isso , foi muito dificilpra mim, fiquei 8 meses com aquilo engasgado no pescoço, sem saber o que era melhor expor tudo aquilo pra familia dizer para ela que eu sabia que elatinha feito aquilo comigo, não,não podia fazer isso com meu pai que tanto amo e alem do mais talves ele nao acreditasse.ela passou a me visitar co mais frequencia e o clima entre nós duas foi ficando muito ruim e quando nao aguentei mais abri o jogo , perguntei porque comigo , ela me disse que fez e acha que não foi nada e que eu estrguei sua vida porque ela casou gravida e que a culpa de tudo isso era do meu pai pois foi muito ausente durante a gravidez entao ela nao me aceitava muito bem,emagreci 10 quilos em uma semana minha familia achou que eu tivece alguma doença muito grave , minha mãe saiu da igreja a qual cogregava teve depressao , eu tambem tive, e ainda com depressao e não conseguindo tomar remedios , tive bolimia nervosa tudo o que comia achava que ia fazer mal,minha mãe por varias vezes falou em se matar ,minha irmã ficou com raiva de mim ,meu pai nao entendia nada ,tive que engolir tudo aquilo, perdoar e ajuda-la a sair da depressão, se colocar numa postura forte ainda que se sentisse muito fragil, para que minha familia nao fosse destruida e que meus filhos não sofresse o que eu sofri tive e tenho muita fé em Deus sou evangelica ja a 15 anos, creio que a ajuda veio de Deus hoje ja posso dizer que estou quase curada , não tenho mais medo de dormir sozinha , mas ainda tenho pesadelos, minha mãe e eu vivemos muito bem com o perdão , moramos distantes nos vemos de 20 em 20 dias, meu casamento sempre foi maravilhoso hoje ja com 11 anos de casados esta ainda melhor , o casamento de meus pais tiveram uma reforma hoje esta muito legal.Momento mais dificil da doença foi quando emagreci e com panico e depressao nao aceitava tratamento psicologico, fui encaminhada até pro psiquiatra mias nao fui ,e achei que ia morre tive por varias veses começo de Ipotermia, o que mais queria era engordar fis muitos exames que nao deram nada , a´te que tive tambem uma Dengue e quase morri pois estava ja fragilizada , hoje 2 anos depois engordei 14 quilos estou muito feliz e ache esse blog por um acaso , e ao ver os comentarios sinti que talves se os tivesse lido naquela epoca teria sido mais facil passar nao acharia que por qualquer sintoma iria morrer. Desculpe o meu livro que deveria ser um comentario espero que possa ajudar vcs e saibam que esta tudo em sua mente nao deixe ela te dominar dominea e venceram os obstaculos da vida , que Deus os abençoem assim como tem feito comigo Beijossss detalista demais sei!!!!kkkkkkkkkssssss

  30. marcia rodrigues

    olá, meu filho nao tinha medo de altura, até que os amigos fazer uma brincadeira idiota, de trancá-lo na sacada de um prédio da praia, daí pra frente mudou toda sua vida, ele não vai mais a lugares que tenham elevadores, não atravessa um viaduto de carro, se surgir uma vaga de emprego num prédio que seja no primeiro andar ele não vai, parou a faculdade porque a classe mudou para o andar de cima, enfim, todos os lugares são verdadeiros sacrificios pra ele, ele anda triste e muito abatido, quero muito ajudá-lo. Ele já foi a psicologos, psquiatras tomou remedios e nada acontece. Eu acho que se eu começar a levar a lugares com um pouco de altura pra ele se forçar a entrar e combater esse medo aos poucos enfrentar mesmo sabe. Não sei, estou tão perdida. Se puder me ajudar quanto a isso. É a primeira vez que entro num blog de ajuda para esse problema. Acho que vou ter uma luz.

  31. Ana Carolina

    Olá, consegui ler todos os relatos…são tão parecidos. descobri aqui, que não estou sozinha nesta doença. Sim, digo doença porque ela acaba com a gente, e com as pessoas que vivem ao nosso lado. É dificil eu sei, mas não perco a esperança que um dia a medicina vai conseguir curar com eficiência a todos os portadores da sindrome. Hoje me sinto uma cobaia…ja experimentei muitos medicamentos. Todos com promessas de cura, mas nenhum me curou. Tenho a sindrome quando ainda ninguem conhecia, nem sabia o que era ainda. Comecei meu tratamento com medicamentos em 1989 e hoje ainda tenho crises fortes e busco a cura, experimento medicamentos. Ja estou pensando em acreditar que essa doença ´só cura com Terapia de vidas passadas. Em que me resta mais acreditar? É uma doença espiritual, porque nesse plano, ninguem a conhece profundamente a ponto de me curar. Ja tenho 54 anos…e vegetados em função dela. Vou começar a viver quando? Com 60,70,80 ou nunca? É isso gente, vamos a procura da nossa cura sozinhos…ou com ajuda mútua, porque profissional esta dificil.
    Boa sorte a todos nós!
    Carolina.
    meu e-mail para quem quiser contato: acrm2107@gmail.com

  32. Luciane

    Oi pessoal!!
    Luto contra essa doença tb,mas agora sem remedios porque não adianta a ficha tem que cair..estava usando os remedios como bengala.Tenho 36 anos,saudavel,2 filhos, um marido que me ama.Li o Livro Sem Panico ,ali me abriu uma porta da cura!!
    Temos ser igual a natureza..quando um vento sopra forte a arvore não se sconde do vento ela simplesmente se curva deixando fluir..as emoções são assim tb ..se algo vem na sua cabeça algum pensamento que vc não gosta deixa ele entrar..não queira se livrar dele porque quanto mais vc tenta se livrar,mais ele gruda no cerebro..pensamento vem e vão,vc escolhe se quer ou não..oque importa é oque vc tem no seu coração de verdadeiro…vc pode pensar um monte de besteiras,querer se matar,ou que esta enlouquecendo mas vc sabe que no fundo isso não vai acontecer,então deixe fluir estes pensamentos,eu fiz esta técnica e deu certo,eu até busco mais pensamentos ansiosos,mas sabe que acontece?nada? Porque o meu “Eu” que está no comando e não meus pensamentos,deixo eles ali flutuando e nem dou bola para eles..chego a dar risadas!! Não é fa´cil domar este pânico,tb vivi muito tempo assim com o medo do medo,vivo dias ruins como todo mundo,mas eu escolho lutar!!Devemos abraçar o nosso Eu todos os dias..sabe que de tudo que eu passei eu aprendi muito de mim,me senti muito mais preparada,estas crises só fazem a gente crescer.Eu li tb que pessoas que tem sp são pessoas muito corretas e perfeccionistas demais,então meu relaxe,não se cobre,não pense nosoutros,oque os outros vão dizer ou falar..Desejo o melhor para vcs!! abraços

  33. erica

    ja tive crise de panico, mas o pior é o medo de morrer, hoje tomo 2 fluoxetina e lítio e sou feliz…abraços

  34. Gilberto

    Pessoal, tive uma experiência ruim de saúde em março de 2010 causado pela ansiedade e pãnico, além do estresse. Mas como alguns já sugeriram, Deus é o melhor caminho, através da leitura da bíblia encontrei o refúgio, podem confiar. Depois procurando na web encontrei um material e comprei que fala sobre o “movimento único” onde vc desafia sua mente a encarar o problema que ela mesmo cria, ou seja, vivemos de coisas que não existem. Um exemplo é vc dizer pra sua mente que o que vc têm não existe e que é fruto da imaginação, por exemplo quando vc vai para algum lugar que sente mede como dirigir, esta tecnica ajuda a vc lutar com o pensamento encarando ele de frente, mais ou menos assim; “eu não tenho nada, não tenho motivos para ter medo, vem pánico agora neste momente eu quero sentir vc agora vem estou esperando, me ataca vem mas vem mesmo para derrubar”
    perceberam que a única forma é encarar o pânico de frente?
    O material e extenso e recomendo a leitura, me ajudou muito e consigo superar muitas situações que antes nem se quer gostava de pensar que entrava em pãnico.
    Espero ter ajudado em alguma coisa útil e de resultados rápidos.

  35. vinicius

    Olá gente! meu problema é quando dirijo,pode parecer estranho mas se pego o carro e entro em uma eatrada me sinto muito mal,suor,tremor nas maos coraçao acelerado vem aquela ideia que pode acontecer um acidente a qualquer momento.pode não ter carro nenhum,mesmo assim eu me sinto em perigo.É muito ruim.

  36. Fa

    Oi gente..preciso de orientações…sempre tive sentimentos de me sentir sufocada as vezes com lugares sem ventilação..sempre precisei viajar muito de onibus e desde o ano passado tenho ´serios problemas. Quase pedi algumas vezes p o motorista parar o onibus e me deixar aonde quer q fosse, porém pedi muito a Deus e consegui chegar no meu destino..mas minhas maos suavam frio, meu coração dispara..é um sentimento muito ruim..! e percebi q conforme a umidade do ar é menor piora..! O problema é q os onibus tem as janelas fechadas..e quero sentir o vento no rosto, quero ter o poder da situação, abrir e fechar a janela quando eu quiser e agora eles ficam com as janelas fechadas..
    Uma pessoa me orientou em treinar a respiração, o q me ajudou um pouco, mas só de pensar q preciso viajar de onibus fico pensando o tempo todo ..n sei o q fazer, qual profissional da area procurar, por isso peço ajuda!
    li o comentario anterior..e vou procurar esse “unico movimento” tb..

  37. Aninha

    Ei pessoal,estou aqui não por mim,mas pela minha irmã,ela ta em crise de depresão,muita ansiedade,não dorme direito,não come,e alem disso está de licença do trabalho pq quebrou a mão,tá muito dificil pq ela não consegue tomar nenhuma medicação,ja fez tudo quanto é exame e não acharam nada,o que isso graças a Deus foi otimo mas mesmo assim ela tem medo de tomar qualquer remedio,não sabemos mais o que fazer,gostaria de saber de vocês se tem alguma ideia,alguma ajuda,quero muito ajudá-la.Obrigado a todos que responderem.

  38. Bruna R S

    Olá Aninha continue tentando convence-la a tomar os remédios e tb fale com um psiquiatra e peça a ajuda dele para convence-la ou melhor ponha isso diante de uma psicóloga, começar a terapia já é uma grande passo para sua irmã.Ore junto com sua irmã ponha isso diante de Deus tb.

  39. Mara

    Eu nao sei quando começou, mas veio piorar com a separaçao, um monte de divida, superei essa fase, ai veio uma decepçao amorosa muito dolorida, depois um assalto, a morte da minha irma, e minha mae qse morreu e eu e minhas irmas cuidamos dela, fora outras coisas, tenho fibriomialgia dores constantes que me levou a fazer varios exames achando ter doença grave, sofri um acidente de moto, e sinto dores e dores, bom além disso tudo, nao posso ver sangue, nem alguem gritando com outra pessoa, nem brigas, nem ouvir dizer que alguma pessoa esta doente (é o que mais ouço), vem uma angustia tão grande, uma ansiedade, vontade de largar o serviço e sair correndo, pedindo ajuda, o pior que eu tento conversar mas de tanto medo acabo repetindo varias vezes as mesmas coisas e deixando meus amigos preocupados. Ja orei, ja busquei em Deus a cura, e acabei indo no medico e pedindo calmante e antidepressivo, mas hoje só de eu ter que ir buscar meu exame de sangue pra ir no retorno medico eu qse pirei e qse deixei louca minha amiga, tive de tomar outro antidepressivo por conta propria pra poder continuar trabalhando. Esses dias atras fiquei no serviço vegetando pq nao conseguia fazer nada pensando ter alguma doença contagiosa.Sabe isso me maltrata por dentro, nao consigo ser feliz e nem fazer ninguem se sentir bem do meu lado, eu estou cansada de sentir isso. Nao sei mais o que fazer, é raro os dias que estou bem, piora quando chove e o dia esta nublado, as crises pioram.

  40. Nelson Pereira

    Meus amigos, sou da ilha da Madeira uma ilha aqui de Portugal e quero partilhar com voces a alegria de ter encontrado este site, o meu problema é igual ao de voces por isso percebo o que vai nas voças cabeças so de ver o sofrimento que voces escrevem aqui me aperta o coraçao e da vontade de chorar tenho ataques de ansiedade e de panico desde 2004 por isso ja la vao 8 anos no inicio usei sedoxil por conta propria um ansiolitico e fui a varias sessoes com a psicologa desisti pensando que estava curado mas passado 8 anos estou novamente com os mesmos ataques e outra vez na psicologa sou crente em DEUS e isso me conforta tenho procurado ajuda em livros que tem me ajudado a perceber melhor a mente humana mas ainda nao consegui a cura mas eu tenho fé continuem tentando pk o dia da felicidade verdadeira vai chegar um abraço a todos e espero que o vosso dia chegue em breve.

  41. Will

    Dr. Artur, a terapia especializada é a cognitiva comportamental? obrigado

  42. aline

    Preciso de ajuda

  43. josere

    Comecei a 03 meses..meu problema e quê não consigo tomar os rwmedios

  44. alexandro da silva de jesus

    Olá, eu estava com um crise de soluço e fui na urgência para resolver esse incomodo e o medico me passou plasil na veia sepois da administração veio em seguida uma ansiedade, inquietação, pânico uma sensação muito ruim retornei ao medico e ele me passou calmantes e até agora estou na luta com meus pensamentos para acalmar essa sensação ruim, pois sinto sensações de medo, queimor na barriga e até uma falta de ar… Pois gostaria de saber como eu resolveria essa sensação ruim que estou sentindo.

  45. Alexandra

    tenho isso já faz 10 anos tomo doaram e fluoxitina passo dias sem sentir nada mais quando ela vem sinto muito medo d morrer deixar meus filhos agora mesmo estou aqui em pânico com muito medo desesperada sem saber o q fazer já tomei 2 disparos e estou chorando muito uma sensação d medo d q vou morrer q alguma coisa d ruim vai acontecer comigo e é uma situação horrível já não sei mais o q fazer tem horas q bate a tristeza choradeira o pânico tudo d ruim

  46. Alexandra

    as vezes tenho vontade d sumir desaparecer mais não sei como só sei q é difícil conviver com isso

Leave Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *

clear formSubmit