A reação de ansiedade/medo faz parte de um sistema de comportamento defensivo construído pela evolução para enfrentar perigos. Este sistema detecta um perigo e produz respostas que visam aumentar a probabilidade de sobrevivência numa situação avaliada como perigosa.

Há algumas reações básicas que o organismo apresenta numa situação de perigo. A fórmula mais conhecida de resposta de “luta ou fuga”, na verdade se compõe de quatro direções básicas de respostas comportamentais: luta, fuga, congelamento ou desfalecimento.

Vamos imaginar que nos deparamos com um animal perigoso. Se nosso cérebro interpretar que podemos enfrentar o animal, nosso corpo se organiza para enfrentar ou intimidar o animal.

Porém se o animal parecer muito grande ou perigoso para nossos recursos, a resposta que se organiza é de fuga. Se não houver possibilidade de fuga, uma resposta possível é a de paralisia, de congelamento, como uma estratégia de tentar passar despercebido. Caso o ataque seja avaliado como iminente pode surgir uma resposta de desfalecimento para tentar pacificar o inimigo ou de desmaio para nos proteger de sentir a dor do ataque.

Assim estas quatro reações pré-organizam comportamentos que teriam diferentes funções numa situação de perigo:
(1) de agressão (mostrar-se perigoso, atacar ou revidar)
(2) bater em retirada (evitando o perigo, fugindo)
(3) de imobilização (paralisar-se, quando fugir é inviável)
(4) de desfalecimento (submissão/pacificação ou desmaio para não sentir a dor)

Estes padrões de resposta reaparecem mesmo quando a fonte de perigo é interna, seja uma sensação corporal como na Síndrome do Pânico, uma situação de avaliação social como na Fobia Social ou uma reativação de uma lembrança traumática como no Estresse Pós Traumático.

Em todas estas situações há uma hiperativação do circuito do medo que dispara padrões pré-organizados de comportamento na presença de um suposto perigo.

Numa crise de ansiedade o corpo vai esboçar alguma destas respostas frente ao perigo, notadamente uma das três últimas: fugir, paralisar ou desfalecer.

Esta variação de respostas explica porque, por exemplo, algumas pessoas reagem numa crise de ansiedade com agitação, outras com paralisia, enquanto outras reagem com uma sensação de amolecimento e sensação de quase desmaio.

22 Comments
  1. Isabele

    Interessente a expressão “amolecimente” e “quase desmaio”, fico aliviada em saber que o desmaio é muito raro nesses casos.

  2. Eu,pessoalmente,nunca desmaiei,mas é frequente ter medo,ou sensação de que vou cair pro lado e desmaiar.Sinto o corpo sem força e uma certa despersonalização.Acaba por passar,mas é uma sensação horrível.Já lá vão 3 anos com crises de ansiedade e só agora é que estou a aprender a lidar com isto.Blogues como este são um escape muito bom para quem procura um conforto na ideia de que não estamos sozinhos…

  3. Kênia

    Interessante essa perspectiva frente aos sintomas… eu me sinto por vezes desfalecendo, até ensaio minha queda (rsrs…) é engraçado dizer isso, mas é serio! De tao real que é, sinto que estou fora de mim, me perdendo ou que nao estou ali… fico tonta na hora. Uma coisa que tem me ajudado é ir pro quarto (quando posso) e deixar o quarto totalmente escuro e ficar lá, deitada na cama de olhos fechados, a tontura passa. Já desenvolvi tantas tecnicas pra me ajudar e sempre estou precisando de novas… Mas vou vencer o Panico, eu e todos voces por que isso é apenas uma fase de aprendizado…

    Abraços!!!

  4. juliana

    É gente! Que luta, vitoriosa porém atorduante. Estou na reta final de minha gestação, estou de sete meses, com o pânico me rondando e com Deus a me auxiliar estou firme na caminhada que nao tem sido muito agradável, tem dias q como hoje, me pergunto se um dia voltarei a viver normal de novo, se terei a oportunidade de distribuir energia, sorrisos, otimismo e muita garra com as pessoas que convivo e principalmente ter isso em mim vigorante, me dando vida , e com qualidade. Nao se pode desistir, nunca nunca. Mas não tem sido fácil. Espero em Deus q sejamos sempre amparados por Ele, que sua bendita misericórdia nos alcance onde quer q estejamos, que sejamos luz e que encontremos pessoas anjos em nossas vidas, e q nossa mente, nao seje corroída pelo inimigo. A cruz sagrada seja minha luz, nao seja o dragão meu guia, retíra-te satanás, nunca me aconselhes coisas vãs, é mal q me ofereces bebe tu mesmo do teu veneno. A paz a todos, perseverem, a Vida pertence a quem se atreve. bjobjo

  5. Renata

    Olá Juliana, você já uma vitoriosa e Deus quer mostrar sua capacidade de vitoria com essa vida que lhe foi concebida. Fique em paz, tudo vai voltar ao normal.
    Estou na terceira semana de tratamento e as vezes também tenho impressão de que nada mais será normal, mas penso que esse pensamento permitir impedirá todo o progresso. Nunca tinha passado por nada tão assustador e minha rotina tem sido pensar se será que vou passar mal. Mas, Deus tem me dado muita força, que ele ilumine vcs e lhes dê muita força.

  6. Não é fácil , estou na luta a quase um ano… estou muito melhor , mas ainda continuo essa batalha… devemos buscar a DEus sempre , Só ele sabe o que faz , e sempre faz para o bem , sem a vontade dle nada acontece…

    No meu blog tem um pouco de minha estória , e meu dia a dia contra esse mal!!!

    Fiquem com Deus todos…

  7. Estive nesta luta por quase, pasmém, 10 anos. Gastei rios de dinheiro com psquiatras, remédios…. O que me curou (ainda estou em fase de cura, mas estou 90% melhor) foi tratar com a terapeuta sobre o meu passado. Saber que eu não era mais a mesma pessoa do passado me deixou mais segura, mais fortalecida.
    Sempre pensei, para que mexer no passado? Já foi….Mas foi mexendo nessa passado que minha vida melhorou muito. Doi no começo, mas depois, é uma maravilha…

    Ninguém é refém da ansiedade, dá para sair sim…Boa sorte para todos!!!

  8. oi gente,eu li os seus depoimentos,e inclusive o da juliana,q está gravida,poxa é tão dificil enfrentar o panico e imagina gravida,ju Deus tem tomado conta de vc acredite,eu tive a sindrome a 2 anos ,fiz o tratamento e até hoje ainda tenho alguns sintomas,principalmente tontura e me sinto fora da realidade,mas uma coisa eu tenho a lhes dizer ,a luta é grande,mas a vitoria é bem maior,pois Deus está no controle das nosssa vidas,eu era uma pessoa muito egocentrica,e depois q tive isso aprendí a ser mais humilde,claro q foi muito doloroso,mas se Deus estiver no controle ,tudo melhora…… a paz a todos .simone 30 anos.

  9. Helyel Rodrigues

    pessoal

    tb estou com esse problema, a uma semana tive uma crise, e de lá para ká comecei a ler sobre o assunto para saber como lidar.

    creio que identificar a fonte dos nossos medos e desamparos é a cura para esse mau. temos necessidades na vida, uma das maiores é a de segurança, e qdo ela nao é satisfeita dá esse tipo de problema, mas a vitória é certa.

    abarço a todos

  10. Lyvia alves

    Olá pessoa! Estou querendo criar uma “ong virtual”. Na verdade um facebook entitulado. “Fobia só entende quem sente”. Sofro há 11 anos, mas pior que enfrentar tudo é ter que conviver com a incompreensão das pessoas a sua volta. Afinal, por fora você está ótimo e definiçõe de que isso é uma frescura são as mais ouvidas. Chego a conclusão que a incompreensão pode ser fatal. Estou prestes a sair do meu trabalho por causa disso. Só preciso ser compreendida, mas a própria direção da empresa entende isso como corpo mole. Sendo que sou uma funcionária que desempenha bem as funções. No entanto uma, não muito relevante, não consigo por conta da fobia que se agrava cada dia quando me sinto sem saída. Enfim, quero montar um facebook para podermos trocar desabafos por mensagens e quem quiser pode expor para todos a angústia. O que acham? “Fobia só entende quem sente” A imcompreensão pode ser fatal. Bom, espero contato de todos você e vamos lança primeiro esse movimento on-line para acabar com o preconceito. Meu e-mail ly_amiga@hotmail. com. Vamos nos unir…

  11. Roberta

    eu tenho 16 anos estou indo fazer faculdade em uma cidade vizinha, é aproximadamente 1:30 de onibus! todos os dias vomito muito quando sei que vou ter quer iir pra faculdade, não consigo comer, fico fraca de cama, to indo na psicologa mais não está adiantando me sinto impotente de fazer uma coisa que é tão simples para alguns e cmg se torna tão dificil e doloroso, a psicologa disse que não pode se classificar como uma fobia social pqe quando estou aqui em casa me relaciono normalmente, não sei mais o que fazer preciso de ajuda…

  12. Zanchetta

    Olá a todos, estou pesquisando a vitimização de policial em horário de folga, sendo muito interessante estas reações diante do perigo, pois tenho conhecimento de alguns casos de homicídio de policial, que resolveram lutar, ou seja revidar frente ao perigo.
    Existe alguma fonte bibliográfica desse assunto?
    felicidades!!!

  13. Regiane

    Oi gente eu tenho tag e isso me trz mto sofrimento minha terapia se inicia só em novembro e a demora faz me sentir abatida e com medo.Eu tenho 23 anos não consigo estudar ja tentei trabalhar por 2 vezes este ano mas eu não dormia só vomitava e qdo chegava no trabalho eu sentia meu corpo desfalecendo era horrivel eu tinha tanta ansiedade e medo de aprender q eu mal entendia o q me falavam,tinha mta dificuldade e as pessoas achavam q eu era devagar de mais e me fazim mta pressão pedi demissão e decidi me tratar, meus dias estão sendo cansativos tenho medo de perder alguém da minha familia tenho dores horrorosas no peito choro constantemente.Só Deus e minha familia para me amparar, amei esse blog agora entendo mais meus sintomas e transtorno
    .estava mesmo precisando ver depoimentos de pessoas q vivem igual a mim.
    Abraços e sorte para todos nós

  14. jessika eleonor dias

    doutor tenhoa sindrome do panico a quase dez anos tudo começou qdo tinha 17 anos
    passei mal em uma cidade vizinha tive vontade ir ao banheiro mais nao tinha coragem de usar o das lojas q passei perto fiquei apavorada liguei pra casa desesperada tive todos os sintomas minha mãe e minha prima forao me buscar qdo cheguei em casa diminuiu um pouco mais dai pra frente começou o tormento dias depois fiu para msm cidade com minha mãe e passei mal de novo pois tudo o q aconteceu vinha na minha cabeça outra vez o medo de tudo acontecer outra vez .Doutor dai tudo mudou estava terminando o colegial nao conseguia ficar na escola pois ficava pensando se a porta nao ia emperar e se eu nao ia ficar presa na sala sem poder ir ao banheiro , fui ao medico e ele me endicou o tratamento com a psicologa fiz tratamento por 2 anos e tudo foi melhorando terminei o colegial fiz curso saia so nao conseguia ir para a outra cidade de onibus cada dia melhorava mais. A 4 ou 5 anos atraz tive outra crise tava casada ja quase matei meu marido do coração qdo pedi para ele me levar ao pronto socorro mais nao consegui ficar la pois os sintomas eram horriveis e a preocupação se o banheiro estaria ocupado. Minha vida familiar na epoca tava um inferno meus pais estavao se separando meu irmão envolvido com o q nao devia doutor quase enloqueci
    mais tive meu marido e amigos ao meu lado. tive força e levantei de novo qdo tudo estava se encaixando meu pai morreu(quando ele morreu misturou tudo o panico e a dor doutor perdi o chao hj ta um pouco melhor mais ainda doi e muito) fiquei um ano e meio só dentro de casa nao saia´pra nada so ia de uma esquina a outra de casa meu casamento quase acabou pois tudo ele fazia sozinho e eu nao tinha forças para ir ao psicologo .Ai um dia a tia do meu marido veio e conversou comigo conseguiu me converser a ir no psicologo dai pra frente melhorei muito hj eu trabalho mais nao consegui me livrar de algumas coisas como por exemplo: deixei de sair pq sempre fico preocupada se o banheiro estara ocupado deixer de ir na casa dos meus amigos pq tem so um banheiro mais sei q se eu me esforçar eu consigo ir mais mais é horrivel,as vezes aqueles pensamentos vem e atormentao minha mente ai eu paro e penso q isso ja foi e q hj é outro dia q o q eu senti aquele dia nao é a mesma coisa q esta acontecendo agora.

  15. Martha

    Tenho 40 anos e a 5 estou num sofrimento constante, tenho pânico de médicos, exames, e sempre que fico sabendo que alguém tem uma dor no fio de cabelo já penso no pior, eu todos os dias acho que alguém vai me ligar pra dizer que ta doente, que fez exame e tem que repetir e que vai dar alguma coisa, não aguento mais essa situação, todo dia isso me atormenta, já fiz tratamento com psicólogo e psiquiatra, não quero viver dopada de remédios… preciso de ajuda….

  16. Teresa

    Boa tarde, doutor, estou desesperada e nas minhas intermináveis horas na internet em busca de uma explicação, encontrei o Sr. Minha amada filha de 15 anos foi conduzida a um motel pelo seu professor de matemática e ali desvirginada contra a sua vontade. O caso já está na DEAM, todavia o meu receio serão as alegações futuras. Ela sofre de um pbm “emocional” no qual ela paralisa em situações de risco e ela me narrou que ela não conseguia reagir enquanto ele a estuprava, apenas olhava para o espelho. Era como se não estivesse ali. Teve uma série de medos durante o ato e o certo é que, não conseguiu reagir. Há alguns meses ela vinha apresentando um comportamento estranho (introspecção extrema, roeu todas as unhas – inclusive por cima formando buracos, arrancou cabelos, intensas dores de cabeça, fuga da vida social, insônia …) até que caiu numa depressão muito grande e afirmou querer se matar. Preciso de orientação para provar que minha filha não quis aquela experiência sexual, que aquilo trouxe um enorme mau a sua vida e que ele (professor) cometeu um crime. Atualmente ela toma 04 tipos de medicamentos controlados. Pelo amor de Deus, ajude-me a salvar minha menina. Ela está perdendo a luz que sempre teve. Grata

    • Prezada Teresa, somente agora, após dois anos de seu pedido , vejo sua mensagem ao entrar por acaso neste blog. Espero que sua filha tenha superado essa terrível experiência. Caso lamentavelmente isso não tenha acontecido, permita-me uma sugestão. Procure um terapeuta formado em alguma das modernas Terapias Mentais Aceleradas – recomendo especialmente a Terapia da Linha do Tempo, a Programação Neurolinguística e as Terapias da Psicologia da Energia, como o EFT e o TFT. Procure profissionais com FORMAÇÃO numa dessas áreas. São as abordagens mais rápidas e efetivas que conheço para lidar com experiências traumáticas. Que tenham paz e alegria.

  17. Thiago

    Sofro a um ano de ansiedade, apos ter uma crise reversiva por causa de uso de drogas. Parei de utilizar drogas a um ano’ mas minha vida nuca mais foi a mesma. Sensações de dor no peito, na cabeça/ de que vou ter um avc, tonturas sao constantes’ inclusive paralisia na perna. Fiz todos os exames e nada. Nunca imaginei que a mentee pudesse causar tamanho estrago. A mensagem que eu deixo é a de coragem, temos que procurar os tratamentos adequados’ que combatem a causa de nossos medos, e não ficar se dopando. Atualmente faço tratamento com um remedio, mas quero que seja temporário, tenho corrido todas as semanas e garanto que isto, apos dois meses de inicio, tem feito a diferença. Por isto, se exercitem, façam acupuntura, yoga’ invistam em suas vidas, acredito q desta forma acalmamos a mente. Força a todos!

  18. Jose dos Santos Santana

    ha dez meses estou sofrendo de depressao.No mes de junho de 2014 eu fui pra o Brasil num panico e ansiedade extrema eu sobrevivi o vooo.chegando no Brasil passei por um neurologista e pasiquiatra e tambem fiz uma sressoanancia magnetica.o psiquitra mim receitou Ludiomil 75 e eutonis ansiolitico pq a minha insonia estava terrivel.Pois bem em agosto retornei pra Berlin alemanha super bem.Mas em vovembro do ano passado mim eu a pior crise da minha vida, pq os medicamentos do brasil tinha acabado e eu com medo de voltar as crises eu procurei meu clinico geral pq aqui em berlin eu nao tinha encontrado psquiatra.Pois bem a medicacao que o clinico receitou foi terrivel pra mim.Eu fiquei tres meses sem tomar nenhum medicamento portanto foram os piores dias da minha vida…Hj a tres semanas comecei um novo tratamento mas ja consigo sair de casa e conversar com as pessoas.mas hoje cedo mim deu um vazio tao grande no peito.Olhei da janela o sol estava brilhando e lindo, mas o vazio era tao grande que pensei que ia mim consumir.Agora tou melhor sem ansiolitico.
    Obrigado

  19. Ana Claudia

    Desde de 2002 comecei desenvolver ansiedade e depressão, mais até então isso nunca me impediu de eu lutar pelos os meus projetos de vida,trabalho,estudos
    Basicamente a minha vida estava perfeita tinha terminando a faculdade estava preste a ser empossada no concurso público com um salário razoável.Era pra estar realizada de não fosse uma tragédia que aconteceu comigo depois que passei por uma situação traumática há 02 anos apartir daí minha vida virou um inferno,um caos que desejei a morte ao inveis de passar td que passei que foi e é esta sendo essa experiência com a síndrome do pânico.Varios sintomas começou a desenvolver,parecia que o meu corpo queria se separar de mim,eu tinha a impressão que iria cair no meio da rua,tontura tudo girava ao meu redor.De repente eu não sabia onde estava desorientação,eu enchergava turvo e sentia uma pressão na cabeça e na nuca.Mas o pior pesadelo é medo que passei era o medo de enlouquecer de sair de mim,perder o controle.um turbilhão de pensamentos e não conseguia um só minuto esquecer da situação traumática e vexatória que passei.Hoje O2 depois dia a dia ainda venho tentando me libertar dessa tragédia.

  20. Aumenta a consistência e a resistência do fio.

  21. J.S.

    Eu acredito que eu tenho TOC e Síndrome do Pânico depois de um assalto que teve na minha casa em 2015. Eu cheguei a sair de casa fiquei bem, mas vários problemas começaram a ocorrer em 2017, inclusive a minha volta pra casa que eu considerei a minha sentença de infelicidade. Recorri à Igreja para me sentir mais forte e é o que está me amparando, mas o trauma de receber uma pistola na cabeça e quase ver meus pais morrerem na minha frente, além de uma nova ameaça de assalto à minha casa que acabou sendo frustrado (graças a Deus) depois da minha volta foi à gota d’água. Sentia vontade de fugir a todo momento, de desaparecer, sentia tontura e pensamento intrusivos tomavam conta da minha cabeça. Horrível! Cheguei quase a desmaiar com falta de ar no meio da loja onde eu trabalho! Não consigo botar o pé na casa de novo sem sentir nojo do lugar e vontade de jogar uma bomba na vizinhança. Cheguei a sentir uma vontade de vingança enorme dentro de mim, mas isso já passou. Estou lutando pra viver!

Leave Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *

clear formSubmit