A Limitação da Vida Mental pela Ansiedade Excessiva

Uma das características de um transtorno psicológico, como os transtornos de ansiedade é a restrição da vida mental. A pessoa que antes tinha certa liberdade de pensamento, de sentimento e de ação passa por um processo de limitação progressiva de sua vida psicológica. Quanto mais grave o transtorno de ansiedade, mais a vida mental da pessoa é dominada por preocupações, ruminações, medos e evitações.

A pessoa com Transtorno do Pânico (ou Síndrome do Pânico), por exemplo, fica parte do tempo temendo uma nova crise, imaginando situações catastróficas, monitorando sensações temidas em seu corpo, evitando se expor a situações onde ela teme ter um ataque de pânico. De modo bastante parecido funciona alguém tomado por Transtorno de Estresse Pós Traumático, Fobia Social, TOC (Transtorno Obsessivo Compulsivo), etc.

A mente da pessoa fica enclausurada em pensamentos negativos, preocupações repetitivas, inquietação, alerta, rituais, etc. Nos casos mais graves, estes processos mentais negativos passam a ocupar a maior parte do dia e da energia mental da pessoa.

A energia mental que poderia ser direcionada para criatividade, trabalho, estudo e realizações pessoais, vai sendo consumida pelo sofrimento.

A Psicologia dispõe atualmente de estratégias, técnicas e abordagens especializadas eficazes para ajudar uma pessoa com um Transtorno de Ansiedade a melhorar drasticamente de seu sofrimento. A reconquista da liberdade psicológica é essencial para o sentimento de bem estar existencial e para a realização de potenciais criativos na vida.