Uma das características de um transtorno psicológico, como os transtornos de ansiedade é a restrição da vida mental. A pessoa que antes tinha certa liberdade de pensamento, de sentimento e de ação passa por um processo de limitação progressiva de sua vida psicológica. Quanto mais grave o transtorno de ansiedade, mais a vida mental da pessoa é dominada por preocupações, ruminações, medos e evitações.

A pessoa com Transtorno do Pânico (ou Síndrome do Pânico), por exemplo, fica parte do tempo temendo uma nova crise, imaginando situações catastróficas, monitorando sensações temidas em seu corpo, evitando se expor a situações onde ela teme ter um ataque de pânico. De modo bastante parecido funciona alguém tomado por Transtorno de Estresse Pós Traumático, Fobia Social, TOC (Transtorno Obsessivo Compulsivo), etc.

A mente da pessoa fica enclausurada em pensamentos negativos, preocupações repetitivas, inquietação, alerta, rituais, etc. Nos casos mais graves, estes processos mentais negativos passam a ocupar a maior parte do dia e da energia mental da pessoa.

A energia mental que poderia ser direcionada para criatividade, trabalho, estudo e realizações pessoais, vai sendo consumida pelo sofrimento.

A Psicologia dispõe atualmente de estratégias, técnicas e abordagens especializadas eficazes para ajudar uma pessoa com um Transtorno de Ansiedade a melhorar drasticamente de seu sofrimento. A reconquista da liberdade psicológica é essencial para o sentimento de bem estar existencial e para a realização de potenciais criativos na vida.

18 Comments
  1. Jessica

    E minha primeira vez nesse site, comecei a ter problemas agora, amanha é minha primeira consulta com o psicologo, ainda nao sei exatamente o que tenho, porem me identifiquei muito em varios pontos de algumas postagens que li, me deu um novo animo continuarei lendo esse blog.

  2. will

    Não vou dizer que a pessoa acima teve sorte, pois ninguém que comece a sentir isso tem, mas ao menos ela já está a procurar ajuda no inicio do problema, o que não foi o meu caso. Agora, há 4 anos tenho esse problema, fiz um tratamento de 7 meses com um psiquiatra, mas não adiantou, tomava um remédio chamado “tolrest”. Como meu medo de ficar dependente de remédios é grande, resolvi tentar novamente por conta própria resolver esse problema. Não consegui. Já falei do problema para os meus pais, só que eles fingem que não é grave, mas sabem que é, só não querem acreditar que tenho esse tipo de coisa. Preciso procurar uma ajuda de um profissional novamente. Como o texto deste post disse, isso atrapalha muito em qualquer atividade que você faça, seja no trabalho, nos estudos, nos esportes. Sempre ficará debilitado e todos os dias é uma luta constante para não perder o controle. Pior que tenho outro problema de saúde, as pessoas acham que a minha vida é uma maravilha pelo fato de não estar trabalhando, porém, mal sabem o tamanho de meu sofrimento.

    Outra coisa, o preconceito existe, as pessoas fazem pouco caso deste problema. Para conseguir um emprego então? Acha que alguma empresa vai querer contratar alguém desestabilizado psicologicamente? Muitas vezes não, por isso não comento desse problema com ninguém, só comento com uma ou outra pessoa em que posso confiar. Mas a verdade é que realmente atrapalha no desempenho, quando estou a passar mal não consigo prestar atenção no que uma pessoa possa estar me dizendo, informações que são perdidas por bobeira, já passei por isso numa situação no trabalho em que o chefe me deu informações do que precisava fazer, mas não consegui absorver nem metade do que ele disse. É terrível, não dá pra acreditar que tenho algo assim. Desanima muito, qualquer um. Dá vontade de desistir de tudo, mas o ser humano tem essa característica de continuar a sobreviver.

    • Carlos Eduardo

      O texto que vc escreveu me parece de alguma forma similar com o que acontece comigo. O psiquiatra que te acompanhou disse algum diagnóstico de transtorno para vc?? Gostaria de conhecer alguém que passe por questões similares às minhas. A sensação de ver o mundo todo normal e você internamente passando sozinho por problemas é terrível

    • Katia

      Aos 29 anos tive síndrome do panico e por não conseguir controlar a situação tive depressão não conseguia comer pois o alimento não descia pela minha garganta, sempre dizia para minha mãe que esse problema parecia um funil, a entrada era muito grande, mas a saída era minima, tomei remédios de tarja preta que anão resolveram o problema, eram tão fortes que cheguei a urinar na cama sem perceber, minha filha tinha três anos e eu lutava para que ela não percebesse as crises, eu tinha medo de morrer e não vê-la crescer. Uma médica um dia me disse que os remédios só serviam para empurrara o problema para debaixo do tapete, e que no tempo que eu os estivesse tomando teria que resolver os problemas que causavam as crises. O que resolveu meus problemas foi Deus quando entreguei a ele todas as minhas ansiedades e problemas, parei por conta própria de tomar os remédios( o que não aconselho que ninguém faça que não tiver realmente fé), e ele restaurou minha saúde. Um dia ele me disse: ” Você diz que não aguenta mais, mas quando eu a chamo para ajudar você não vem”. E a partir daí resolvi viver da fé. Sei que muitas vezes não é o que gostaríamos de ouvir, mas essa é a minha história, hoje tenho 39 anos de idade, e a todos os que estão sofrendo só tenho uma resposta :
      ” Entrega o teu caminho ao Senhor; confia nele, e ele tudo fará (Sl 37:5).”, amo todos vocês em cristo.

      • damiana

        ola KATIA estou passando por isso e peço a DEUS todos os dia faço uso de diazepam. estou indo a igreja mas nao consigo fica ate o final
        estou lendo muito o livro de salmos é q me ajuda . choro muito pedindo ajuda a jesus.mas tenho fé q isso tudo vai passar . muito nao entende e acha q é frescura . or favor me ajuda grata damiana

        • cleverson

          Oi, damiana. Eu também tive depressão e estando dentro da igreja. Meu conselho para você é que, procure um profissional e procure levar seu tratamento corretamente… e tenha fé que as coisas vão se resolver.

      • Marcus Vinicius

        Sou Cristão minha vida foi entregue a Deus aos 21 anos, hoje tenho 27 a minha vida era normal, tinha algumas preocupações, mas… tive uma certa depressão a quase 7 meses atras, mesmo sendo crente, conhecedor da biblia, tinha intimidade com Deus e me sobreveio isso, a 5 meses tenho transtorno de ansiedade. Talvez digam que não tenho fé, mas a verdade não é essa, para quem não conhecia a Jesus é mais facil ser curado disso pelo fato de não conhecer a Jesus antes é curado facil, mas quem teve um encontro com Jesus e depois veio a depressão, um transtorno de ansiedade é mais dificil, porque mexe, na sua mente, com questões de fé, pelo menos no meu caso foi assim, e e o fato de estar muito na correria, quase não tendo tempo pra descansar, a quase 4 anos eu não sei o que é dormir, todos os dias, 7 horas por dia, pelo fato de trabalhar em outra cidade, ter que depender de onibus e tal, então isso contribuiu bastante para o meu estado, e o estresse subiu bastante, tenho medos, queria ouvir a voz de Deus nitida como antes, mas o transtorno me faz ouvir vozes, tanto para o meu conforto tanto para o meu espanto, quem teve vida com Deus, sabe que Deus fala… porém hoje fico com duvidas e medos, perdi um relacionamento por causa disso, estou com medo de estar jogando um campeonato de basquete pela minha cidade, é dificil… mas o que me alivia um pouco é que homens de Deus como o Apostolo Paulo e o Profeta Elias passaram por depressões (2 Cor 7:5 e 1Re 19) e venceram, estou lendo um livro chamado O PODER CURADOR DA GRAÇAS fala de pessoas com depressão, ansiedade, sindrome do panico, que buscaram ajuda com psicologo cristão e obtiveram a graça de serem curados…

    • Menina

      Eu sei e entendo como todos se sentem e como isso pode de fato atrapalhar, reque muita fé em se próprio é uma doença e precisa ser tratada, porém depende muito da sua força de vontade e acreditar que o poder esta dentro de vc, grite em silêncio que vc é mais que o seu corpo físico, que esta tudo bem.
      Outro dia eu estava me sentindo uma fobia, um sensação de morrer, falta de ar, boca seca foram dias horríveis, comecei a luta interna, comcei a captar esta energia do medo e ver coisas boas, pensar na saúde, em projetos que quero finalizar.
      É muito delicado e deprimente vc começar ter crises que nunca teve antes e que as vezes do nada surgiu boca seca, falta de ar, o medo, o pavor….comecei a ler, entender que somos nós que temos que dar um basta….o pavor de ficar sem ar e não conseguir respirar é o que faz o medo aumentar.
      Ai começa o trabalho interno…vc é o que vc pensa. Entenda o medo e dirija seu medo para que o que sente é uma doença da alma, que vc ta bem, que isso vai passar. Assim comcei a ter domínio do meu medo e saber como lidar com isso e que nada vai fazer eu ter alegria de viver nem ter pavor de sair ou viajar…..tenha fé, acredite e entenda o medo como um fato real que precisa ser encarado com verdade e seriedade. Ajuda de um bom profissional…eu nunca me consultei mas estou testando vários profissionais, lendo sobre eles, o que já fizeram, como trabalham, seus métodos. Tenho uma irmã que é dependente de vários remédios para síndrome do panico e traumas de infância…é muito triste porque a maior parte do tempo ela vive em crises horríveis, toma remédios diversos e nada…as consultas em média de R$ 350,00 a R$ 450,00 , o mais triste é que tem profissional que não da atenção, não escuta o paciente, o quando não da remédios que causas mais transtornos pelos seus efeitos.
      Pesquise, leia sobre qual médico vc vai e qual que vc vai se sentir segura (o), eu já troquei os médicos da minha irmã várias vezes..e agora vou trocar de novo porque a que estou pagando para ela não leva 5 minutos com ela se quer escuta o que ela tem para falar, isso jamais admita, mas tenho fé que tem bons profissionais vai conseguir um que auxilie ela e que ela própria entenda que é de´pende muito dela mesma mais ajuda médica tb.

      Que deus ilumine todos vcs que a luz no fim do túnel a saúde de volta para todos nós.
      Abraço,
      Contato: menina_cristall@ig.com.br

    • Anderson Franco

      Sofro o mesmo faz anos. No meu caso é TEPT.

  3. Carlos Eduardo

    Ola, meu nome é Carlos Eduardo, sou de Salvador, tenho 22 anos, e faz um ano que sofro fortemente do que considero ser ansiedade generalizada associada à uma insônia crônica.

    Eu remonto a ocorrência desse fato, primeiramente, à imagem que formei de mim mesmo desde a infância de um garoto que todos tipicamente rotulavam com hiperativo, energético, impaciente, inquieto, estressado, agressivo, desajeitado e que tinha muita dificuldade em se concentrar em alguma coisa, encarar situações que demandassem autonomia e responsabilidade e de pegar no sono com facilidade. Meu problema maior durante muito tempo foi lidar com o fato de ter sido gordo durante toda minha fase de descoberta sexual, o que me criou diversos bloqueios sobre relacionamentos afetivos e problemas de auto-imagem. Assim, durante muito tempo eu convivia e conversava socialmente muito bem com as pessoas, mas me sentia muito mais como um expectador do que um real participante de minha vida pessoal. Eu estava apenas ali em uma festa observando os outros viverem, com minha mente preza em mil devaneios sobre coisas aleatórias e assuntos que, muitas vezes, nada tinham relação com qualquer coisa que estava em pauta na mesa. Todo esse escapismo mental nunca me deixou sentir 100% presente no espaço em que eu estava. Eu dizia para mim mesmo que fui alguém azarado que não era capaz de viver a vida normalmente como os outros e assimilava isso quase como um fardo que eu tinha só que lamentar.

    Como um primeiro impulso de mudança, em meio a mil dietas fracassadas, consegui, aos 20 anos, emagrecer ao ter uma perspectiva de seguir concentradamente um treino de musculação, o que trouxe, com isso, mesmo que tardiamente, uma segurança para iniciar uma vida sexual. Todavia, questões de falta de maturidade para lidar direito com situações reais de uma vida adulta me fizeram uma pessoal medrosa e irresponsável, que encontrou proteção apenas em racionalizações de toda e qualquer situação como uma forma ilusória de ter o controle de tudo e evitar me machucar. Desse modo, eu me via utilizando toda minha capacidade racional e interpretativa de uma maneira compulsiva para tentar prever os efeitos das minhas ações e acontecimentos o tempo todo. O pior de tudo é que, muitas vezes, nada do que eu imaginei acontecia de verdade ou, se acontecesse nunca era nem perto de ser igual à forma catastrófica que imaginei, o que me fazia constantemente simular problemas e situações drásticas em minha mente, sofrendo sem necessidade por coisas que acabavam só existindo em um plano mental. Toda essa atividade cerebral excessiva depositada em preocupações me tira o sono e me faz ficar dependente de mil remédios tranquilizantes para conseguir ter umas poucas horas de paz e, principalmente, de sono.

    Bem, tentei contar um resumo de minha história em busca de encontrar pessoas que se sentem de uma maneira semelhante para poder buscar me entender melhor e saber como lidar com essas situações.

    Obrigado pela atenção

  4. josiane melo

    Ola doutor sera que vc pode mim ajudar algum tempo atras sofri um trauma, e agora mim sinto ameaçada o tempo todo sinto um frio no estomago nó na garganta parece que algo de ruim vai mim acontecer a qualquer momento, ouço ate vozes de pessoas mim ameaçando nao tenho dormido direito nao sei mais o que fazer por favor mim ajude…

  5. Sarah

    Oi, meu nome é Sarah e eu tenho 23 anos, já faz alguns meses que eu comecei a notar sintomas de transtorno de ansiedade em mim, é horrível, já não durmo,não me alimento direito e nem consigo me concentrar em nada, fico o dia todo deitada ou sentada apenas com um frio na barriga muito desconfortante e palpitações no peito e esperando que algo de ruim aconteça, começo a questionar a minha sanidade mental,as vezes tenho vontade de correr ou morrer mas ao mesmo tempo que eu estou agitada e perturbada por dentro por fora eu me sinto fraca e cansada o tempo todo…o seu blog foi o melhor que eu encontrei na internet falando sobre esse assunto,leio e releio tudo e me identifico com quase tudo que está aqui.Se puder mandar algum texto ou uma ajuda pelo meu e-mail eu ficaria muito agradecida….

    • Débora

      Ola, eu tenho exatamente os mesmos sintomas que você. Procurei um psiquiatra que me receitou alguns remedios. Até melhoraram, porém o que tem me dado forças é Deus, quando vou a igreja me sinto melhor. Toda vez que me vem os pensamentos estranhos, a moleza no corpo e a ansiedade eu canto, oro e tento direcionar meus pensamentos pra outra coisa. Mas sempre tomo os remedios e vou ao medico.

  6. Ricardo RJ

    A ansiedade pode ser controlada,mas primeiro temos que fortalecer nossa vontade e nossa autoconfiança.A terapia com psicólogo de confiança,não importa a linha que ele siga;além de recursos como a meditação,yoga e atividade física e boa qualidade do sono,são elementos essenciais para o controle da ansiedade e recuperação da liberdade mental.Esse blog tb éde grande ajuda aos que sofrem a ansiedade.

  7. Filipe DF

    Bom dia a todos! Sempre fui uma pessoa muito ansiosa, mas isso nunca tinha atrapalhado minha vida…
    Mas comecei há uns dois anos ter uns episódios de transtorno de pânico…. Sentia falta de ar, um aperto no peito, formigava o braço…. pensava que estava enfartando… corria para o pronto socorro e não dava nada… tudo normal.
    No dia seguinte estava bem e a vida seguia normalmente, mas depois de algum tempo novo episódio acontecia e de novo acabava indo ao pronto socorro… e de novo tudo normal.
    Até que um cardiologista me atendeu e fez um check up geral… como todos os exames deram normais, ele disse que só poderia ser estresse ou excesso de ansiedade, e me pediu que procurasse ajuda especializada nessa área. Mas, se eu sentisse de novo essa crise, me passou um frontal.
    Como então eu já sabia do que se tratava, pensei que pudesse me controlar sozinho… quando a crise queria aparecer eu sabia que não iria morrer, que era psicológico e conseguia suportar os sintomas e depois de um tempo voltava ao normal. Quando a crise era mais forte eu tomava o frontal e melhorava.
    E continuei minha vida normalmente, até que em março deste ano (2013) eu comecei a sentir uma angústia sem nenhum motivo aparente, veio uma grande ansiedade, pensamentos ruins, tonteira, visão ruim… parece que a vida perdeu o sentido de uma hora pra outra… Não conseguia mais dormir direito e comecei a me desesperar!
    Só a partir daí que fui procurar ajuda de um psiquiatra que me diagnosticou com Transtorno de Ansiedade Generalizada com alguns ataques de pânico.
    Comecei a tomar sertralina diariamente e rivotril quando estivesse muito ansioso.
    Procurei também ajuda de um psicólogo para ajudar no tratamento.
    Mas o que tem me ajudado mesmo foi ter buscado a Deus verdadeiramente!
    A psiquiatra até se impressionou como eu melhorei em tão pouco tempo!
    Hoje tem aproximadamente 1 mês que comecei o tratamento. Já consigo dormir bem, também quase não estou tomando o Rivotril, que quero me livrar logo.
    Estou participando de grupos de ajuda na igreja e reservando tempo diariamente para leitura da Bíblia e oração. Tenho fé que em pouco tempo estarei completamente curado!
    Somente com esse relacionamento mais íntimo com Deus é que ele trabalha realmente em nossa vida!
    O Senhor Jesus nos ama muito, e deu a sua vida para salvar a nossa! Ele quer o nosso bem, mas temos que buscá-lo e pedir a sua ajuda em nossa vida!
    Tenham fé que tudo isso tem cura! Procurem ajuda dos médicos e de Deus!
    Deus os abençoe!

  8. Ola meu nome e Emerson eu tambem venho sofrendo com uns trantornos estranhos fico com medo de morrer pensametos negativos da ansia de vomito nada tem graça as veses estou em casa e me sinto sufocado parecendo que vai me dar um ataque as veses acordo me tremendo vivo numa tristesa enorme por favor pesso ajuda pois tudo parece perdido meu email e emersondossantos1985@hotmail.com agradeço a atençao de todos.

  9. Luna

    Não me lembro exatamente comecei a ter crises de pânico. mas a que me lembro bem eu tinha 11 anos.Tenho todos os sintomas lido nesse blog. O que mais me entristece, são as sensações de queda e morte que sinto quando começo a dormir… isso também acontece quando estou acordada mas percebo a ansiedade chegando mais forte antes do coração passar d 100. Vivi tantas coisas que me envergonho de dizer aqui em detalhes… Mortes, agressões, abandono, mas o que mais me machuca foram os abusos na infância até o inicio da adolescência! Quando não estou com crises d panico choro facilmente. Não sou sempre assim. A tristeza sempre foi uma companheira mas sempre mascarada. Lógico que tive muitos momentos de alegrias, mas assim como as crises de panico… Elas passam. Agora estou com minha vida comprometida. Coisa que ainda não havia acontecido. Antes eu só não ia no tobogã do club, paraquedas, sei lá uma vida mais divertida….O máximo era andar de bicicleta, uma academia uma dança… Já fiz meu marido sair de uma pizzaria por achar que ia aparecer alguém e matar todo mundo!!!! Mas Agora o que está me deixando triste e fragilizada é que não estou pensando nesses medos imaginários e sim sentindo meu corpo desfalecer, esfriar, formigar,flutuar, as vista parecendo que estou usando um óculos forte que não são meus, o coração disparar sem o menor aviso. Quero minha vida de volta e esquecer todo o resto! 

  10. Anonimo

    A 4 meses que ando muito ansioso e preocupado, isso começou após um fracasso pessoal, achei que fosse normal, que iria superar, não busquei ajuda pra ver o que poderia fazer pra me acalmar e me arrependo, hoje estou em uma situação desesperadora, com o passar do tempo fui ficando cada vez mais triste, um sentimento de culpa e arrependimento, Sempre fui tímido mas me fechei de uma forma que não queria falar com ninguém , estou longe da família e amigos e esse isolamento piora tudo, comecei a ter dificuldades pra dormir e a ansiedade e aperto no peito não param, estou desesperado pois os dias passam e não consigo terminar nada que começo, e vejo que vou fracassar novamente. Isso está me matando..

Leave Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *

clear formSubmit