Frequentemente vejo pessoas que chegam (finalmente) para terapia depois de anos e às vezes décadas de sofrimento psicológico. Ela tem suas vidas limitadas pelo medo de ter uma crise de pânico, pelo receio de passar constrangimento numa situação social, por ser escravizado por rituais obsessivos, por temer reviver algum trauma…

Estas pessoas estavam vivendo vidas precárias, privadas de satisfação, empobrecidas de oportunidades, sem nunca terem efetivamente buscado e enfrentado um tratamento psicológico especializado que poderia resolver seus problemas. Muitas destas pessoas iam “levando a vida”, com um controle precário de sintomas, muitas vezes com a ajuda de alguma medicação prescrita anos atrás. Mas o que ressalta aos olhos é a ausência de busca de uma ajuda que resolveria de fato o problema.

Quanta vida não estava sendo vivida? O que a pessoa faria se não estivesse consumindo tanto de seu tempo e energia lutando com seu sofrimento?

Hoje a Psicologia vive um desafio importante, de aumentar o conhecimento de sua eficácia, para que as pessoas saibam que existem tratamentos psicológicos especializados para diferentes transtornos psicológicos e que o sofrimento mental não é algo com o qual a pessoa tem que se acomodar tristemente.

A vida pode ser vivida mais plenamente.

13 Comments
  1. Taiguara

    Dr. Arthur, em que medida hoje o Pânico e a Ansiedade Generalisada estão sendo focados pelas políticas públicas na área de saúde mental?

  2. Mayra

    Parabéns pelo blog! Li quase todos os post por inteiro. Tenho uma mãe extremamente ansiosa e vejo muito dela em todos os textos. A ansiedade é algo muito delicado para lidar, e eu também tenho um certo grau dela, que tem melhorado com a terapia e o auto-conhecimento. Obrigada por ajudar as pessoas indiretamente!

  3. Dr. Arthur, coloquei um link para o seu blog, que costumo acompanhar, no meu blog, o Sem Transtorno!, ok? Aguardo sua visita e opinião, se possível! Abraços.

  4. Ricardo RJ

    Muito bom o conteúdo do blog,é de grande ajuda para quem sofre de ansiedade e de outros transtornos.Parabéns Arthur!

  5. Gislene Morelo

    Dr. Artur, boa noite…
    O famoso “prenúncio de crise” voltou a me assustar….me assusta pouco, mas ainda assim, me assusta…é terrível pensar em sentir tudo aquilo e que tudo aquilo poderá acontecer a qualquer instante…e isso realmente me incomoda, me deixa vulnerável…..
    Passei por períodos muito difíceis no ano passado e no começo deste ano….
    Isso tudo pode desencadear novas crises de pânico??
    Bem, o que me conforta muito nestes “episódios” é que consigo me lembrar dos exercícios respiratórios e me acalmo….
    Contudo, há ainda muito medo em mim de sentir tudo aquilo de novo….
    Obrigada pelo espaço….é um desabafo e espero brevemente retornar às sessões de terapia.
    Forte Abraço.

  6. Valeria Coelho de Andrade

    Tem dia que parece que o mundo vai acabar diante de mim, eu não consigo entender o que está se passando comigo… é um aperto no peito, uma agustia, sofro tanto, choro, rezo… só sei que o que eu sinto, não desejo nem pro meu pior inimigo, é muito ruim. To cansada de tomar remédios, tem dias que sinto até vontade de morrer, não consigo trabalhar direito, não vivo com tranquilidade, a impressão que eu tenho é que alguma coisa vai acontecer a qualquer momento. Se vou ao mercado logo vem a sensação que algo vai me acontecer, o coração dispara, sinto calafrios, dores, é horrível. Quando acontece alguma coisa de triste, pode esperar que a crise vem logo em seguida.Pelo amor de Deus me ajude,me mostre o que devo fazer, o meu marido é tão bom, agente se ama tanto, eu preciso me curar pra continuar vivendo feliz. Obrigada.

  7. Paulo Roberto

    Exatamente como a Valeria disse acima….parece que em qualquer instante alguma coisa vai acontecer de muito ruim, doenças, mortes, etc.
    O mais irritante é que algo abstrato…não conseguimos pegar…apenas sentir e sentir isso é mto ruim…..Rivotril talvez tenha se tornado meu grande amigo apesar de odia-lo rsrs….isso é péssimo…preciso que quero voltar a ser quem fui um dia…esse seria meu grande presente…isso peço a Deus sempre…..que minha filha de 09 anos e que a minha nova princesa que chegará em Setembro jamais passem por isso…..diagnosticos diversos…ora me identifico com TOC, ora com TAG…..sei lá…vamos vivendo…abraços a todos

  8. andrea duarte

    Bom,
    sinto um pouco do que todo mundo falou…
    e amei esse blog que achei hoje por acaso durante uma das minhas recaídas…eu odeio recaídas…é impressionante.
    Eu trabalho de casa, na vedade estou começando, mas isso é uma coisa que está sendo difícil, não consigo ficar em casa sozinha….poir isso fico na rua..o esporte tem sido meu melhor amigo fora os meus remédios.
    Mas preciso voltar a ganhar dinheiro, e preciso voltar a ser quem era, sem recaídas.
    Estou tentando me livrar dos meus remédios pois quero muito ter um segundo filho e como já tenho 41 anos precisa ser logo….e se eu tiver uma crise durante a gravidez?
    Alguúe faz meditação?ajuda? algúem tem algum conselho, dica sei-lá pra me dar?
    a que eu posso dar é façam excercicio……é MUITO bom…. eu faço ballet, musculação e estou voltando a correr….é o melhor tratamento…
    beijos e que todos melhorem ou aprendam a lidar com isso

  9. fiz uma cirurgia e adquiri a sindrome do panico dai então como e no meu corpo sinto que nao esquecerei mais a cirurgia durmo sem remedios acordo com taquicardia e vem logo a cirurgia na cabeça estou no piscoterapeuta e piscanalista que me ajudou muito pois tive varias sensaçoes horriveis depois da cirurgia mais tudo piscologicamente eu quero esquecer a cirurgia pois ja fiz outras e nem lembro quero ver tudo normalmente sofro com medos de não conseguir

  10. Fátima Robalo

    Tenho uma depressão crónica há 16 anos, e há cerca de 5 anos sofro de crises de ansiedade, ataques de panico, fobia social, etc.Neste momento, encontro-me internada, na Psiquiatria do hospital de castelo branco em Portugal, para curar um esgotamento nervoso, mas sinto que cada vez estou pior.
    Já não sei o que fazer da minha vida!Tenho medo de tudo e até de viver.

  11. Maria Helena

    Dr. Artur eu tenho só 20 anos mas já sofro com ansiedade desde criança conforme os anos foram passando foi piorando fui me isolando e criando fantasias e fobias e panicos as vezes tenho medo de ficar maluca de vez , mas seu blog me ajudou muito adorei ele diz realmente o que sinto já fui no psicologo e fui diagnosticada com despersonalização mas por medo não terminei o tratamento mas agora vou tentar me tratar de novo porque sozinha não vou conseguir muito obrigada pela ajuda

  12. Geraldo

    Durante a minha vida pensei em milhares de problemas e alguns chegaram até mesmo a existir…

  13. João

    28 anos levando a vida, deixando tudo pra depois, pra quando eu melhorar e essa melhora nunca chega. =/

Leave Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *

clear formSubmit