“Como eu faço para desligar isto?”

Este é o desejo comum de quem tem algum Transtorno de Ansiedade.

A pessoa não apenas se sente ansiosa, mas fica aflita, querendo logo se livrar daquele estado interno.

Há um medo das reações internas, como se fossem perigosas, pudessem piorar e levar a uma possível catástrofe. As fantasias e pensamentos automáticos negativos costumam criar um cenário ruim, muitas vezes com desfecho trágico, que faz com que a pessoa tenha medo de permanecer naquele estado ansioso.

Quem tem síndrome do pânico, por exemplo, teme as reações em seu corpo e fantasia consequências negativas como ter um ataque cardíaco, desmaiar, etc se permanecer no estado ansioso.

Para quem é fóbico, a aproximação da situação ou objeto temido, leva a uma ansiedade que a pessoa avalia como “insuportável”.

Uma pessoa com TOC fica ansiosa com seus pensamentos obsessivos e sente uma urgência interna de se livrar deste estado interno através de rituais compulsivos.

Para fugir deste sofrimento temido, a pessoa busca estratégias para se livrar daquela experiência de ansiedade: sair da situação, buscar apoio de alguém de confiança, lutar contra os pensamentos, desviar a atenção do que sente, seguir rituais, etc.

O que se tenta evitar é uma experiência interna. Paradoxalmente, esta evitação da experiência é justamente o que mantém a pessoa aprisionada num transtorno de ansiedade.

Enquanto teme suas reações ansiosas, apresentando comportamentos de evitação e fuga, a pessoa mantém intocadas as fantasias irracionais e distorcidas que avaliam o estado de ansiedade como perigoso. Ela permanece presa em seus sintomas evitando as reações do corpo, os objetos/situações, os pensamentos, como se estes fossem o problema.

Na realidade o problema está na enorme intolerância a ansiedade e na constante busca de evitação da experiência. Quanto mais briga contra a ansiedade e quanto mais pensa que não pode ficar ansiosa, mais sofre por se sentir ansiosa. Aquilo que mais evita é o que mais acontece.

Essaarmadilha da evitação é reforçada por tratamentos que buscam o caminho da eliminação dos sintomas de ansiedade.

Se a pessoa utiliza recursos para “controlar” sua ansiedade, pode ter uma sensação inicial de alívio. Porém a ansiedade, como toda emoção humana, vai reaparecer em momentos de maior estresse e tensão. E quando reaparece o sujeito frequentemente vive aquele retorno como uma “recaída”, como um fracasso.

Na verdade o problema ainda não foi resolvido, o que implicaria em aprender a transformar a relação com a vivência da ansiedade.

Paradoxalmente, quando a pessoa pára de lutar contra a ansiedade, esta começa a incomodar muito menos.

Mas como fazer isto?

Na ansiedade há um bloco de reações corporais, estados emocionais e processos cognitivos. Este bloco é de difícil assimilação, produzindo uma experiência de inundação e transbordamento de emoção.

Precisamos decompor a crise de ansiedade em seus diversos componentes, discriminando cada sensação interna, cada pensamento automático negativo, cada nuance de emoção… é necessário ir desfazendo o bloco, tornando aquelas reações mais aceitáveis, familiares e toleráveis.

A desconstrução da reação de ansiedade para torná-la uma experiência assimilável é parte de um tratamento psicológico especializado.

Um bom caminho terapêutico passa por:

– Cultivar e fortalecer o “eu que observa” através de práticas de atencão plena, aprendendo a contemplar e discriminar a paisagem interna de reações corporais, sentimentos, pensamentos etc.

– Identificar e se diferenciar das fantasias e pensamentos negativos que assustam e criam cenários temíveis.

– Expor-se gradativamente a situações e estímulos que produzem ansiedade, para criar uma habituação ao desconforto sem brigar com o que sente.

Assim a pessoa aprende a criar um espaço de continência para a ansiedade, aprendendo a conviver com este estado sem ter a vida paralisada e o pensamento escravizado com preocupações de passar mal.

Neste processo, o “monstro” da ansiedade vai sendo gradativamente redimensionado e os transtornos de ansiedade vão cedendo caminho para a continuidade do crescimento psicológico.

(por Artur Scarpato)

24 Comments
  1. fernando

    parabéns artur, continue postantdo. voce ajuda mtas pessoas (mesmo que elas nao comentem nada)

    • Thaise

      Exato

    • Com certeza fernando eu pesquisando na net sobre o panico encontrei o maravilhoso site do dr.artur e esta sendo muito bom prq estou entendendo muito mais do que sinto e como agir neste momento

  2. Mônica de Souza Campos

    Dr Artur, hoje tive uma experiência enriquecedora lendo seus artigos,pois, me fez entender muito do que passo e ver uma luz no fim do tunel. Muitas vezes cheguei a chorar tamanha riqueza de detalhes de como descreve sintomas e motivos desencadeadores destes. Pena que vc esteja em SP e eu no RJ . obrigada por seu blog abç Mônica

  3. Cary Bertazzoni

    Sempre eloquente neste assunto! Quando você ajuda alguém, tudo volta multiplicado pra você. Que sua vida seja iluminada.

  4. Ana

    Pra mim parece que a ansiedade não vai embora enquanto eu não resolver o assunto. Tudo que eu penso são coisas negativas e parece que quando tento pensar algo POSITIVO vem um outro pensamento negativo e destrói. Parece que quando penso positivamente não estou preparada para o que vai dar errado.

    No fim do dia estou esgotada e não consigo fazer nada. Reparei que nas épocas de ansiedade não como quase nada por muitos dias,meu quarto fica irreconhecível e minha aparencia horrível.

    Faço de tudo pra melhorar. Percebo que o apoio das pessoas ajuda mas ninguém gosta de alguém estressado por perto.

  5. dr.arthur estou em tratamento,com fe em deus tudo vai dar certo.com essas palavras que o senhor escreveu vao me dar muita força muito,muito obrigado.deus te abençoe.

  6. IVANI COONTI VESELIC

    EU ESTOU PRESA E NÃO COONSIGO SAIR NÃO QUERO MAIS FICAR PRESA ESTOU ME SNTINDO MUITO MAL POR FALVOR ALGUEM ME AJUDA?

  7. evelyn

    Lendo o artigo, antes de mais um passo na aceitação e exposição a ansiedade. Obrigada por escrever no blog, ajuda bastante!

  8. Ricardo RJ

    Excelente artigo,de grande ajuda para todos que vivenciam a ansiedade!Na minha opinião o autoconhecimento e a desfusão dos pensamentos negativos são a chave para a convivencia com a ansiedade,

  9. Rafaela Maia Marques Bonfim

    Dr. Eu ainda não passei no psiquiatra com um diagnóstico certo, mais tenho quase 100% de certeza que o meu problema se concentra na ansiedade. Fico noites sem dormir, tenho pensamentos bem obscuros e evito assistir qualquer coisa que possa me gerar o medo.
    Estou a 3 meses em tratamento com a psicóloga, mais desde la venho piorando, gostaria de saber se a consulta em um psiquiatra cm acompanhamento de remédios é mais eficaz.

    Aguardo bem ansiosa sua resposta.

  10. juliana

    eu sinto muito medo de ficar sozinha dentro de casa de noite

  11. juliana

    eu sinto que tem espiritos perto de mim

  12. LU. SP

    Dr.hoje li os seus artigos, e vi o quanto me identifiquei com o problema que estou passando. O qual muitas vezes fiquei pensando, meu Deus o que esta acontecendo comigo. E agora vejo que preciso de ajuda.

  13. Nany

    Olá, hoje procurando uma resposta para os sintomas que venho sofrendo a alguns anos encontrei seu blog e percebi que não é “besteira” o que estou passando e seu texto fez com que percebesse que preciso procurar uma ajuda psicológica uma vez que esses sintomas que estou tendo cada vez mais estão me limitando, um exemplo é não comer no restaurante da faculdade por tremer muito e não conseguir controlar isso. Tenho medo de não conseguir me livrar da ansiedade e ver minha vida cada vez mais sendo jogada no lixo. Hoje Deus me mostrou seu blog e outros textos que me fizeram entender um pouco o que estou passando e foram mais um incentivo para eu não desistir e ir em busca da minha tão sonhada felicidade! Obrigada 🙂

  14. Aline

    Boa tarde!
    Eu tenho 28 anos e perdi o meu irmão a dois anos ele estava com 26
    foi assassinado com 3 tiros quando pediu por uma outra vida.
    Éramos muito ligados um ao outro e dez de que isso aconteceu me tornei uma pessoa fria não consigo mais me apegar as outras pessoas,não consigo ter uma vida social tudo me cansa. Eu fui uma jovem tão alegre e hoje não me reconheço mas .
    Sei que preciso de ajuda mas não sei por onde começar.

  15. marcela

    esta tudo tao dificil , fico com tanto medo da mudança de cor nas minhas fezes

  16. Nilcelia Rando

    Meu nome e Nilcelia Rando tenho 47anos , tive sindrome de panico em janeiro de 2014
    Faço terapia com Dr Artur Scarpato , ele e ótimo vale a pena ,

    • Eu gostaria muito de saber se o dr. Artur tem uma filial aki no rio pois moro no rio

  17. Boa terde!eu tenho 29 anos e a 5 anos me apareceu essa doença orrorosa éla apareceu quando dei a luz ao meu 3 filho no caso hoje com 5 anos comecei a ter medo de ficar em casa só depois eu já ñ queria mais sair de casa tenho dores no peito,tontura,fico tremula desrealidade quando chega alguém na minha casa os sintomas boom aparecem rapido a pediatra do meu filho que me diagnosticou essa sindrome do panico e me receitou um remedio que foi otimo fiquei sem ter nada ums 5 anos e agora tudo de novo caindo sobre mim estou penssando em procurar um pisicologo mais até o momento ñ tive animo de ir por favor me ajude já ñ sei mais oq faser pra sair dessa;(

  18. Luciano toledo

    Acredito em tudo isso porém nos meus 45 anos varias terapias com psicologos e psiquiatras acho no meu caso é muito dificil por isso em pratica. TAG desde os 19 só hoje com uso de pristiq e rivotril e analise digo que há uma melhora na sobre vida. Porem muito longe de poder dizer que é aceitável e muito menos uma cura em andamento.

  19. CIRINEU FERREIRA DE SOUSA

    EXCELENTEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEE!!!!!!! DOUTOR, VOCÊ ESTA DE PARABÉNS!!! É DIFÍCIL CONVIVER COM O TOC… JÁ FIZ DE TUDO! ESTOU LUTANDO SOZINHO AGORA (MAS COM DEUS DO MEU LADO É CLARO)! ACREDITO QUE O GRANDE SEGREDO PARA SE LIBERTAR DO TOC E ELIMINAR DE UMA VEZ POR TODAS ESTA DOENÇA É RESISTIR AOS RITUAIS E SUPORTAR A ANSIEDADE EMBORA QUE O MUNDO DESABE SOBRE A SUA CABEÇA…VAI CHEGAR UMA HORA QUE VAI PASSAR E QUANDO O DESEJO DE REALIZAR OS RITUAIS E A ANSIEDADE PASSAR A SUA MENTE VAI FICAR MAIS CLARA, VAI SE ABRIR MAIS EM RELAÇÃO AO TOC E VAI VER O QUANTO VOCÊ FOI BOBO (A), QUANTA ENERGIA DESPERDIÇADA, QUANTOS MOMENTOS BONS PERDIDOS QUE PASSARAM…AGORA VOCÊ QUE QUER SE LIVRAR DO TOC TEM QUE TER FORÇAS, UMA FORÇA DE VONTADE QUE VOCÊ TEM QUE TIRAR LÁ DE DENTRO DE VOCÊ! VOCÊ TEM QUE SE REVOLTAR CONTRA ESTA SITUAÇÃO, NÃO ACEITE MAIS NA SUA VIDA! LEMBRE-SE: NENHUM PROBLEMA É TÃO GRANDE SE A SUA VONTADE DE VENCER FOR MAIOR! ESPERO TER AJUDADO! ABRAÇOS A TODOS!!!

  20. Muito obrigada Dr Arthur pelas informações prestadas!
    Tive a minha primeira crise há dez anos atrás, e me tratei com acompanhamento psicológico, acumputura e tbm um clínico formado em medicina oriental q só me receitou remédios fitoterápicos!
    Foi muito bom e não me causou dependência!
    Agora este ano tive outra crise, mas tive q tomar um ansiolítico para poder sair das crises mais severas, ja melhorei muito e encontrei este blog q fez lembrar das minhas antigas sessões de terapia!
    E pesquisando tbm na internet encontrei um aminoácido que é um neurotransmissor da SEROTONINA!
    É o L-Triptofano! Sensacional! Vc toma em cápsulas para tratar a ansiedade e é natural! Pesquisem sobre esse aminoácido pq vale a pena ! Estou tomando ele é já notei muita diferença!
    Obrigada

Leave Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *

clear formSubmit